segunda-feira, 29 de dezembro de 2014



Olá prezados leitores, finalmente chego hoje para apresentar meu primeiro livro publicado, intitulado O Nascimento Virginal: Da Cristologia Primitiva ao Arquétipo Mitológico Universal. Depois de quase um ano de espera, posso hoje apresentar esta obra que espero que preencha uma lacuna importante na literatura crítica cristã.
Ao longo das mais de 600 páginas, quase 1.000 notas de roda-pé e uma bibliográfica citada de mais de 450 obras de erudição, busquei de forma mais cabal possível falar sobre o relato do nascimento de Jesus através de uma ótica crítica que nos permite enxergar os relatos evangelísticos através de uma perspectiva histórico-mitológica.
Escrevi o livro dentro de um mês, usando minhas férias para escrever até a conclusão. Todo este tempo de espera foi devido alguns percalços que ocorreram. De início estava negociando com duas editoras para a publicação. Firmei com a primeira. Em Fevereiro enviei o manuscrito original para a aprovação e revisão. De Fevereiro só no final de Julho que me foi enviado um email falando sobre algumas alterações que deveria fazer no original. As alterações eram relacionadas à questões ideológicas do livro, e fiquei até setembro negociando as alterações, no início de outubro resolvi não alterá-lo e procurar outra editora. Mudar a linha do livro ia de encontro com muito do que eu objetivo com o mesmo, e não iria fazer isso por motivos financeiros. Escrevo no blog e escrevi o livro com o objetivo de esclarecer as pessoas interessadas sobre este assunto, e não “ficar rico” vendendo livros, ou monetizando meu blog ou site.
O livro foi publicado em parceria com o Club dos Autores e a Koilas Editora e isso trouxe várias benefícios. Entre eles, principalmente, a disponibilidade imediata do livro, o preço do mesmo e a possibilidade de ebook. Na primeira editora não haveria livro digital, o preço do livro, por causa do valor acadêmico e do número de páginas ia ficar em torno de 80 reais. Pelo Club dos Autores, o livro ficou por 59,00 com frete incluso, podendo ser parcelado em até 12x. Outro benefício é que há a versão ebook por apenas 18 reais, valor que qualquer pessoa pode pagar. Estava esperando a chegada do meu exemplar para aprovação da qualidade editorial. Recebi hoje e posso dizer que a qualidade tanto da versão impressa como digital é digna de nota, fiquei realmente muito satisfeito com o resultado.
Minha nova página, agora site e não mais blog, é meu nome Eduardo Galvão, e está sendo anunciado na orelha do livro; através dele manterei contato com vocês além de postar os novos artigos. Atualmente já tenho 27 textos publicados lá. Ao comprarem o livro, peço que comentem no site do Club dos Autores e dê pontuações pelas estrelinhas, isso é importante na divulgação, inclusive compartilhar em suas redes sociais. Depois de tanto trabalho e complicações, espero de coração que gostem do resultado e espero que este seja o primeiro de muitos outros por vir. Algumas fotos que acabei de tirar:












10 comentários:

  1. Finalmente nasceu! Eis que é anunciada a "boa nova"! Fico feliz por você, Eduardo. Quero saber como faço para comprar este livro com uma dedicatória sua, é possível? Sucesso! Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Leandro! No início do livro tem algo que você em especial ficará mais feliz, você sempre foi um grande incentivo. Sobre autografo, eu poderia até te enviar este que recebi, mas o problema é que só recebi um único e vou usá-lo na divulgação na minha cidade. Então, alguns leitores que haviam me pedido o mesmo que você eu sugeri que ao comprar o livro colocasse o endereço da minha residência e depois eu reenvio o mesmo autografado.

      Excluir
  2. Olá, Eduardo,
    Parabéns pelo livro, desejo-lhe sucesso! Vou comprar o livro e, quando puder, o comento, pois estou eu também às voltas com o término do meu, que eu escrevo já vai fazer três anos.
    O tema do seu livro é de suma importância, pois é nesta tal suposta "concepção virginal" de Jesus que se apoia todo o edifício cristão. Ruindo a base, todo o edifício cai... No meu livro`, eu dedico um capítulo à concepção e ao nascimento de Jesus segundo Mateus e Lucas, os únicos que escreveram sobre este evento... Você tem alguma dica de algum livro ou artigo sobre como era o ritual do casamento na época de Jesus? Se tiver e puder me enviar a referência para o meu e-mail, desde já agradeço.
    Mauro Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mauro, obg pelas palavras. Tenho sim artigo sobre o assunto. Me passe seu email para ed.galvao.junior@gmail.com

      Excluir
  3. No capítulo 5, na nota 5, você lembra que até hoje aparecem novos credos que são considerados hereges. Mas na verdade os mesmos credos consideram os demais como tais. Os adventistas pregam que o Papa é o anticristo e que ele carrega o número da Besta.

    Na nota 6 você menciona que Paulo afirma a unicidade do ensino desde o início. Mas devemos lembrar que Efésios é um texto falsificado. Não foi escrita por Paulo, mas falsificada para colocar na boca de Paulo coisas que ele não disse e não escreveu. Foi escrita em hebraico que Paulo não escrevia, surpreendentemente para alguém que alega ter feito parte do Sinédrio. Certamente esta ideia de unidade foi fruto do impostor.

    ResponderExcluir
  4. Acho problemático trazer o testemunho de Saulo de Tarso como representativo do cristianismo primitivo, pois ele era um apóstata judeu e contrário aos apóstolos originais. Ele nunca se deu com Pedro e os demais. Como no Incidente em Antioquia (Gálatas 2:11-14) Tanto que ficou cego por anos e só três anos depois de pregar da sua cabeça que foi a Jerusalém. Os ATOS não só não foram escritos por Lucas, como é uma obra mentirosa (apologética) Nela afirma falsamente que Paulo ficou curado da cegueira em três dias por Ananias, o que o próprio Paulo nega em Gálatas. Diz que Paulo foi direto a Jerusalém, sugerindo que lá aprenderia os ensinamentos, mas Paulo mesmo nega, relatando que pregou por 3 anos antes disso. E ATOS tenta conciliar as versões diferentes defendidas por Paulo e os demais apóstolos. Provavelmente ATOS foi escrito por um seguidor ou simpatizante de Paulo que o coloca acima dos demais apóstolos. Na versão infantil de Paulo, Jesus era um homem como Adão. Este, ao desobedecer A Deus, caíra em desgraça e fora expulso do Paraíso passando a ter que morrer e toda a sua descendência punida com isto. Jesus, por ter aceitado (ou procurado?) a crucificação, não se rebelando ou frustrando o objetivo (fica em silêncio), teria resgatado a obediência que Adão não tivera, por isto fora ressuscitado por Deus. E neste momento transformado em carne um novo habitante do paraíso, do Reino de Deus. Paulo estava certo que ele mesmo não morreria. Paulo tem uma voz mais alta no cristianismo, mesmo nunca tendo testemunhando nada, porque era o único capaz de escrever visto as escolhas erradas de Jesus, o carpinteiro. Tanto o alegado Deus encarnado como os que ele alegadamente escolheu pessoalmente eram analfabetos e incultos. Paulo afirma que Jesus o escolheu, mas Jesus nunca disse nada sobre isto. Assim, quão representativo é Paulo do Jesus histórico? Por que Jesus nunca pregou aos gentios e Paulo tem este foco diferente, por locais que Jesus podia ter ido facilmente, se tivesse sido a sua intenção primária? Podia ter orientado pessoalmente seus apóstolos quando em vida.

    ResponderExcluir
  5. Um dado que me chamou a atenção, já tinha visto, mas desconsiderei a princípio, era que Maria poderia ter sido mãe solteira. Tanto que chamavam Jesus de o filho de Maria, que não época era como chamar de filho da P..., de sem pai. Para uma mulher pobre e sem muitos atributos deveria ser uma sentença e tanto dentro de uma comunidade judaica. Explicaria por que tão nova teria sido dada ao velho José. A família não tinha opções melhores. Para José velho era um ganho. Teria uma pessoa para ajudar a criar os seus filhos e uma empregada de graça. Isto também teria reflexos em Jesus bastardo. Nos complexos de pária e influenciado o seu crescimento e no desenvolvimento da sua doutrina. Era algo que um nascimento virginal pela “cobertura” do Espírito Santo viria a calhar muito bem. Como alegar a salvação ETERNA vindo de uma pecadora? De um bastardo? Ainda mais que este fato deveria ser conhecido em Nazaré.

    ResponderExcluir
  6. "Não é este o carpinteiro, filho de Maria (- Yeshu ben Myriâm - ) e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não convivem conosco suas irmãs?” E ficaram escandalizados por causa dele." Mateus 13:55

    ResponderExcluir
  7. Eduardo, seu livro é uma obra excepcional! Creio que, para que ela fique irretocável, é necessário que se faça uma nova revisão ortográfica. É claro que os "erros" não comprometem o conteúdo, mas, para alguns leitores mais chatos, eles podem enfraquecer a força dos argumentos. Estou satisfeito em ter comprado o livro, e terei o maior prazer de comprá-lo novamente, depois de revisado. Vale a pena!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pretendo fazer isso. Ele foi publicado muito às pressas. Houve uma revisão muito fraca, de fato, e eu mesmo já encontrei vários erros ortográficos pequenos.

      Espero tê-lo publicado mais à frente com uma revisão e edição editorial melhor. De qualquer forma, obrigado pelo elogio!

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site