segunda-feira, 29 de julho de 2013

As Testemunhas de Jeová e os Apostatas

por Eduardo Galvão

Esse artigo foi escrito voltado para pessoas que são Testemunhas de Jeová, que estudam ou estudaram a Bíblia com elas, ou que tenham interesse no estudo sociológico das religiões. Se você não tiver conhecimento das doutrinas dessa religião, talvez não entenda e nem tire proveito de algumas informações que aqui serão apresentadas.

APOSTASIA, TESTEMUNHAS, JEOVÁ, APOSTATA
O que pode ser mais repulsivo para uma testemunha de Jeová do que um apostata? Nos anos em que pertenci a esse grupo religioso, nunca odiei tanto uma pessoa do que aqueles que saiam da Organização e agora ficavam contra ela. “A verdade é tão clara”, razoava, “como pode uma pessoa sair e ainda ficar contra?”. Não existia definição mais apropriada do que ódio aliado ao medo; era realmente isso o que sentia pelas pessoas que se tornavam “apostatas”. Lembro-me de um discurso em que um ancião disse: “as pessoas que são apostatas... quero dizer, os apóstatas, pois esses indivíduos não são pessoas.” Essa mentalidade é incrivelmente comum na Organização.

§1. Introdução


A organização das Testemunhas de Jeová investe pesado na manipulação mental para preservar seu império. A única coisa que impede um membro de deixar a religião é cercá-lo de publicações, tirar todo seu tempo com inúmeras atividades cristãs, e vetar qualquer acesso do mesmo às informações contrárias aos seus dogmas.

Além disso, o Escravo usa algo bastante eficaz no objetivo de fazer com que os irmãos não tenham contato com coisas que poderiam colocar em dúvida suas crenças: o poder do medo.

Em 2004, foi lançado um filme que, ao meu ver, é bastante importante no que diz respeito as questões sócio-religiosas. Seu título é A Vila. Em seu enredo, cidadãos são mantidos presos dentro de uma pequena cidade sem contato com o mundo externo e a força coerciva para tal finalidade é o medo. Os fundadores da cidade criam uma lenda de um monstro que vive na floresta, alimentam a lenda com alguns incidentes, o que perpetua não apenas a crença nas histórias, mas também os aprisionam na cidade.

Algo parecido ocorre com as Testemunhas de Jeová. Durante anos me foi ensinado nas publicações, nos discursos, nos congressos e em tantos outros meios enganadores usados por essa religião, que os apostatas eram a própria encarnação do diabo. Os apostatas são pecadores dos quais não há perdão. (Hebreus 6:4-6) Tudo que se poderia se atribuir de mal aos apóstatas era atribuído. O medo, aliado ao ódio religioso, resultava na minha proteção e no mais profundo ardor apologético da minha parte. No entanto, isso logo mudaria.

§2. Abandonando a Matrix


Desde que comecei a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová, sempre fui bastante dedicado aos estudos bíblicos. Em 2001, aos 19 anos de idade, vim a ser batizado como membro oficial da religião em uma Assembleia de Circuito no Caic, Natal/RN. Meu zelo pela religião e ardor pela erudição bíblica continuavam a crescer mais e mais. Com os anos à frente, adquiri muitos livros sobre vários assuntos que me auxiliavam no estudo bíblico e religioso, assim como também aprendi a ler a Bíblia nos originais grego e hebraico, o que me foi de inefável ajuda. Isso chamou atenção dos anciãos da minha congregação, o que fez com que eu começasse a ser indagado sobre o motivo dessa ânsia por conhecimento.

Foram necessários doze anos da minha vida para que tivesse agora uma visão clara de que a religião a qual pertencia estava literalmente me enganando. Comecei a perceber isso quando comecei a procurar checar as citações de livros seculares que o Escravo fazia dentro das publicações. Lembro da primeira vez que isso ocorreu. Lendo o livro A Bíblia – Palavra de Deus ou de Homens?, percebi várias referências ao livro E a Bíblia Tinha Razão... de Wenner Keller. Assim que adquiri o mesmo, logo fui checar as referências feitas pelo Escravo, o resultado foi uma profunda decepção. Logo na primeira referência do livro, quando fui buscar na fonte, não tinha nada, exceto uma foto. As demais citações são deturpadas, fora de contexto e manipuladas para se encaixar no que eles objetivam no livro.

Continuei mesmo assim na religião, tentando “deixar pra lá” essas coisas que hoje são inaceitáveis para mim. Com o passar do tempo, também comecei a ter contato com textos críticos ao Cristianismo, em especial os escritos de Bart D. Ehrman. Isso, acrescido com a decepção doutrinária, bem como a hipocrisia religiosa vigente dentro da congregação, me fez entender claramente que as Testemunhas de Jeová era uma religião puramente humana, desencaminhantemente opressiva e manipuladora. Essa minha visão, posteriormente, se espalhou para toda e qualquer forma de Cristianismo.

§3. Definição de Apostata


Quando deixei de ser Testemunha de Jeová, perdi todos meus amigos de uma vez, pois agora eu era um “apóstata”, algo que odiei por tantos anos. Levando em conta o que eu mesmo pensava sobre os apostatas, me doía saber que agora era a minha pessoa que era vista dessa forma por meus ex-amigos. Sei que, deveras, muitas pessoas que deixam essa religião devem se sentir perturbadas por receberem essa nomenclatura, principalmente daqueles que eram especiais para elas, amigos e família que compartilhavam a mesma crença. Até que, um dia, decidi pesquisar o uso bíblico da palavra “apóstata”. Por mais uma vez, observei a forma maldosa e enganadora do Escravo para nos manipular. Sobre o significado de “apóstata” em português, lemos a seguinte definição:

adj. e s.m. e s.f. Que ou quem abandonou sua religião.
Padre ou monge que, sem autorização eclesiástica, abandona o sacerdócio, a ordem ou o convento.
Fig. Pessoa que renega as opiniões ou partido de que participava para esposar idéias contrárias; desertor.[1]

Em português, a palavra “apostata” vem da palavra latina com a mesma escrita, apostata, que por sua vez vem do grego antigo ἀποστασία que vem do verbo ἀφίστημι, significando literalmente “recuar, revoltar-se”, que é composto por ἀπό (apo, “afastado”) originado do Indo-europeu *h₂epo (“afastado”) + ἵστημι (histēmi, “permanecer”)

Bom, até ai não tem problema, pois se apostata é quem abandona uma filosofia religiosa por outra filosofia, religiosa ou não, então tudo bem, está correto. O problema é que não existe na Bíblia, tanto no Antigo como no Novo Testamento, nenhuma palavra com esse valor semântico. Apesar disso, a Tradução do Novo Mundo usa o adjetivo “apostata” 12 (AT) vezes e o substantivo “apostasia” 5 vezes (NT). O que achei estranho é que praticamente nenhuma outra versão da Bíblia encontramos a palavra “apostata”. Mais à frente entenderemos o porquê. Antes, vamos analisar cada um dos textos da TNM.

Jó 8:13

Assim são as veredas de todos os que se esquecem de Deus,
E perecerá a própria esperança do apóstata, [חנף chaneph]

Jó 13:16

Ele seria também a minha salvação,
Pois nenhum apóstata [חנף chaneph] entrará diante dele.

Jó 15:34

Pois a assembléia dos apóstatas [חנף chaneph] é estéril,
E o próprio fogo terá de consumir as tendas do suborno.

Jó 17:8

“Pessoas retas olham assombradas para isso,
E até mesmo o inocente fica agitado por causa do apóstata [חנף chaneph].”

Jó 27:8

“Pois qual é a esperança dum apóstata [חנף chaneph] caso ele der cabo [dele],
Caso Deus lhe tire a sua alma?”

Jó 36:13

E os apóstatas [חנף chaneph] no coração são os que acumularão ira.
Não devem clamar por ajuda porque ele os prendeu.

Jó 34:30

“Para que não reine um homem apóstata [חנף chaneph],
Nem haja laços do povo.”

Isaías 10:6

“Enviá-lo-ei contra uma nação apóstata [חנף chaneph] e dar-lhe-ei uma ordem contra o povo da minha fúria, para tomar muito despojo e tomar muito saque, e para fazer dele um lugar pisado como o barro das ruas.”

Provérbios 11:9

“Pela boca é que o apóstata [חנף chaneph] arruína seu próximo, mas é pelo conhecimento que os justos são socorridos.”

Isaías 9:17

“Por isso é que Jeová não se alegrará nem mesmo com os jovens deles, e não terá misericórdia com os seus meninos órfãos de pai e com as suas viúvas; porque todos eles são apóstatas [חנף chaneph] e malfeitores, e cada boca fala insensatez. Sua ira não recuou em vista de tudo isso, mas a sua mão ainda está estendida.”

Isaías 33:14

“Em Sião, os pecadores ficaram apavorados; o tremor apoderou-se dos apóstatas [חנף chaneph]: ‘Quem de nós pode residir qualquer tempo com um fogo devorador? Quem de nós pode residir qualquer tempo com incêndios de longa duração?”

Como observado acima, essas são as 12 vezes em que a TNM usa a palavra “apostata” no AT. A palavra no original hebraico, como pôde ser observado, é חנף (chaneph) e é com base nessa palavra que vemos um grande problema para as Testemunhas de Jeová e sua Tradução do Novo Mundo. Quando apanhamos a TNM e consultamos esses textos, comparando-os com as demais traduções da Bíblia, observamos que praticamente nenhuma delas encontramos a tradução “apostata” para essa palavra hebraica. O motivo disso, como já mencionamos, está no significado da palavra original que não carrega o valor semântico que as Testemunhas de Jeová dizem.[2] Quando consultamos diversos dicionários e léxicos da língua hebraica, observamos que o significado da palavra hebraica usada no AT é, dentro outras definições correlacionadas, “hipócrita”, e assim traduz praticamente todas as versões da Bíblia.

É unânime o testemunho erudito sobre o significado de חנף, podendo significar “poluído” (BOTTERWECK, 1981, 103, BEVERA, 1999, p. 42; GABLE, 2012 p. 30) “hipócrita” (RABELAIS, 1807, p. 60; HAGAN, 2002, p. 15; TODD, 1912, p. 105; CLARK, 1836, p. 1759; WILDE, 1986, p. 44; CALMET, 1835, p. 516) “corrupto” (ROBERSON, 2005, 129; CHAPPELOW, 1752, p. 260) “alienado de Deus” (WALTKE, 2004, p. 489) “profano” (YOUNG, NICOL, 1909 p. 241) “renegado” (SMITH, 1953, p. 77) “homem ímpio” (NICHOL, COTERREL, 1977 p. 520; RICHARDSON, 1951, p. 109) “iníquo” (CALVIN, p. 15). Em lugar algum encontramos o significado de apostata.

Um dos melhores dicionário de Hebraico na língua portuguesa, o Dicionário Bíblico Hebraico-Português, de Luis Alonso Schökel, diz na página 234:


Wilhelm Gesenius, um dos maiores especialistas em hebraico no século XIX, comentou[3] em sua famosa obra A Hebrew and English lexicon of the Old Testament including the Biblical Chaldee, na página 293:


Na Septuaginta (LXX), cujos tradutores eram os que estavam mais próximos do texto original hebraico do AT, verteram a palavra hebraica [חנף chaneph] por várias palavras gregas, mas nenhuma delas encontramos "apostata" como tradução. Em Jó 13:16 encontramos δολος, em Jó 8:13 temos ασεβης, em Jó 17:8 lemos παρανομω, em Jó 36:13 observamos υποκριται e em Isaías 10:6 usa-se ανομος. Veja abaixo o uso em cada texto:

Jó 8:13 - ὑποκριτὴν - hipócrita
13:16 - δόλος - engano, enganador, aquele que lesa.
17:8 - ἐπανασταίη - perverso, ímpio
15:34 - ἀσεβοῦς - desrespeitoso
20:5 - ἀσεβῶν - Ímpio
27:8 - ἀσεβεῖ - Ímpio
34:30 - ὑποκριτὴν - Hipócrita

Prov. 11:9 - ἀσεβῶν - Ímpio
Isaías 9:17 - ἄνομοι - nefasto, ilegal
10:6 - ἄνομοι - nefasto, ilegal
32:6 - ἄνομα - nefasto, ilegal

Quando os judeus traduziram o AT, eles vertem a palavra hebraica חנף [chaneph] pelas palavras gregas δολος, ασεβης, παρανομω, υποκριται como equivalentes em seu sentido, nenhuma delas significa "apostata". Mas o que essas palavras gregas significam? Vejamos o significado original delas conforme é traduzida na própria TNM.

Primeiro, a palavra δολος é traduzida na TNM por “ardil” (Mt. 26.4; Mc. 14:1) “fraude” (Mc. 7.22; Jo. 1:47; At. 13:10; Rm. 1:29; 1 Ts. 2:3) “fraudulência” (1 Pd. 2.1) “engano” (1 Pd. 2.1). A segunda palavra grega ασεβης é traduzida por “ímpio” (Rm. 4:5; 5.6; 1 Tm. 1.9; 1 Pd. 4.18; 2 Pd. 2:5, 6, 3:7; Jd. 1.14). A terceira palavra grega, υποκριται, é traduzida por “hipócrita” (Mat 6:2; 5, 16; 7:5; 15:7; 16:3; 22:18; 23:13; 14; 15; 23; 25; 27; 29; 24:51; Mc. 7:6; Lc. 6:42; 11:44; 12:56; 13:15;). A quarta palavra grega, ανομος, é traduzida por “os que são contra a lei de Deus”, “contrários a lei de Deus”, “sem lei”, “contra a lei”, (Mc. 15:28; Lc. 22:37; At. 2:23; 1Co. 9:21; 2Ts. 2:8; 1Tm. 1:9; 2Pd. 2:8) Ou seja, em nenhum lugar a própria TNM as traduziu por "apostata", então por que fizeram isso no AT? Está ai uma pergunta que merecia deles uma resposta!

Como observamos, todos os dicionários e léxicos de hebraico traduzem חנף [chaneph] por “hipócrita” e a LXX traduziu-a por “ímpio” e sinônimos, nunca por "apostata". Em suma, חנף não significa apóstata, ou um pessoa que abandona uma organização religiosa e que agora é contra sua ideologia. Os judeus chamavam de חנף qualquer pessoa que deixava de adorar Yahweh, quaisquer que fossem seus motivos, incluindo até mesmo os gentios, pessoas que nunca fizeram parte da "religião verdadeira", qualquer opositor (BAUDER, 1999, p. 202), o que, com certeza, não é a definição que as Testemunhas de Jeová tem para a palavra "apostata", como veremos mais adiante.

§4. Definição de Apostasia


Quando se trata do significado da palavra “apostasia”, obviamente, encontramos a mesma definição que “apostata”, uma vez que é o seu substantivo. "Apostasia", no significado moderno, é o ato de se revoltar contra, ficar contra algo que antes apoiávamos e isso em qualquer contexto, seja social, político ou religioso.

A TNM usa a palavra “apostasia” 5 vezes, conforme podemos observar abaixo:

Isaías 32:6

Porque o próprio insensato falará mera insensatez e o próprio coração dele fará o que é prejudicial, para praticar a apostasia [חנף choneph] e para falar contra Jeová aquilo que é desordenado, para fazer a alma do faminto ficar vazia, e ele faz até mesmo o sedento passar sem a própria bebida.

Jeremias 23:15

Portanto, assim disse Jeová dos exércitos contra os profetas: “Eis que os faço comer absinto e vou dar-lhes de beber água envenenada. Pois dos profetas de Jerusalém saiu apostasia [חנף chanuphah] a todo o país.”

Daniel 11:32

“E os que agirem iniquamente contra [o] pacto, ele levará à apostasia [חנף chaneph] por meio de palavras macias. Mas, quanto ao povo que conhece seu Deus, eles prevalecerão e agirão com eficiência.

Atos 21:21

Mas eles ouviram rumores a respeito de ti, de que tens ensinado a todos os judeus entre as nações uma apostasia [αποστασια apostasia] contra Moisés, dizendo-lhes que não circuncidem os seus filhos nem andem nos costumes [solenes].

2 Tessalonicenses. 2:3

Que ninguém vos seduza, de maneira alguma, porque não virá a menos que venha primeiro a apostasia [αποστασια apostasia] e seja revelado o homem que é contra a lei, o filho da destruição.

Os usos da palavra “apostasia” no AT pela TNM são infundados pelos mesmos argumentos que usamos acima para a palavra “apostata”, ou seja, o texto hebraico do AT não usa qualquer palavra para “apostata” no sentido moderno, que poderia ser a palavra hebraica משומד. A Septuaginta, no entanto, usa o verbo "apostatar-se" em Gênesis 14:4:

δώδεκα ἔτη ἐδούλευον τῷ Χοδολλογομορ, τῷ δὲ τρισκαιδεκάτῳ ἔτει ἀπέστησαν.

No entanto, o sentido aqui não é o conceito moderno de apostasia, tanto que, nesse caso, curiosamente, a TNM traduz assim:

Doze anos tinham servido a Quedorlaomer, mas no décimo terceiro ano rebelaram-se.

Os usos que a TNM faz de “apostasia” parece mais aceitáveis quando se trata do NT, pois é a tradução da palavra grega αποστασια (apostasia) que é justamente a palavra que dá origem a nossa palavra “apostasia”. Apesar disso, não é uma tradução acertada, porque apesar dessa palavra grega ter dado origem a nossa palavra em português, ela não possui exatamente o mesmo valor semântico. Em outras palavras, quando o NT usa a palavra grega αποστασια, está se referindo a qualquer pessoa que deixa de adorar a Yahweh, por quaisquer motivos, mesmo que não fique contra, mesmo que não pratique outra religião; é o simples ato de não praticar mais a religião, se desviar dela. (BAUDER, 1999, p. 202) Essa, como veremos, não é a definição que o Escravo dá para "apostasia" e por esse motivo não deveria estar assim traduzida nas chamadas Escrituras Gregas Cristãs da Tradução do Novo Mundo.

A palavra grega αποστασια, mesmo dando origem a nossa palavra "apostasia", não significa a mesma coisa, como já dissemos. Isso ocorre porque algumas palavras mudam de sentido com o tempo. Por exemplo, ao se dirigir a Deus, conforme Atos 4:24, Pedro usou a palavra grega Δέσποτα.

οι δε ακουσαντες ομοθυμαδον ηραν φωνην προς τον θεον και ειπον δεσποτα συ ο θεος ο ποιησας τον ουρανον και την γην και την θαλασσαν και παντα τα εν αυτοις

Essa palavra foi a que deu origem a nossa palavra portuguesa “déspota”, e o que é um desposta? Vejamos:

Déspota
(grego despótes, -ou, senhor, amo, déspota)

s. 2 g.
1. Pessoa que governa conforme lhe apraz os que lhe são dependentes, exigindo-lhes obediência passiva. = TIRANO
adj. 2 g.
2. Que não tolera que a sua vontade seja contraditada.
3. Que revela autoritarismo. = AUTORITÁRIO, TIRÂNICO [5]

Imagine se em Atos 4:24 a TNM tivesse traduzido assim: “Déspota, tu és Aquele que fez o céu e a terra, e o mar, e todas as coisas neles”. Isso, sem dúvida alguma, seria um absurdo, algo inaceitável! Isso ocorre porque as palavras mudam de sentido com o tempo. Antes, um Δέσποτα era apenas um governante, alguém poderoso, sem qualquer valor pejorativo (KNOWLING, 1912, p. 133) e, dessa forma, Deus poderia ser assim descrito. É com base nesse mesmo motivo que a TNM errou ao traduzir as palavras originais por "apostata" e "apostasia".

Interessante que judeus modernos traduziram o NT para o hebraico e nos textos em o NT usa a palavra αποστασια em grego, os judeus traduziram por derivados de חנף [chaneph] do AT, cujo significado nós vimos que é "hipócrita". Assim, isso significa que os judeus entendem חנף e seus derivados como equivalente de αποστασια que é usada no NT.  Encontramos uma prova disso na TNM, que verteu por "hipócrita" em Mateus 7:5 onde ocorre a mesma palavra hebraica que o Escravo erroneamente traduziu por "apostasia" no AT, veja baixo:

Hipócrita[חנף chanephTira primeiro a trave de teu próprio olho, e então verás claramente como tirar o argueiro no olho de teu irmão.

Em hebraico, como visto no site Congregation Sar Shalon:


Assim, se esse é admitidamente o significado dessa palavra no original hebraico, que direito tem a Comissão de Tradução do Novo Mundo de verter por "apostasia"? Os dicionários de grego do NT traduzem o termo αποστασια por “deserção” (TRAVIS, 2011, p. 103; HAMMOND, 1845, p. 438) “ato de afastar-se” (CHAPMAN, 2011, p. 205; MILTON, 2011 p. 253). A palavra ἀποστασία está relacionada com o feminino ἀποστάσιον, da qual temos seu sentido:

ἀποστάσιον, ἀποστασίου, τό, muito raramente nos escritos gregos nativos, deserção. de um homem livre de seu patrono, Demosthenes 35, 48 (940, 16); na Bíblia: 1. divórcio, repúdio: Mateus 19:7; Marcos 10:4 (βιβλίον ἀποστασίου, equivalente de כְּרִיתֻת סֵפֶר livro ou carta de divórcio, Deuteronômio 24:1, 3; (Isaías 50:1; Jeremias 3:8)). 2. uma carta de divórcio: Mateus 5:31.[4]

§5 As Testemunhas de Jeová e os Apóstatas


Com base nas informações abordadas acima, qual o problema da tradução “apostata” e “apostasia” na Tradução do Novo Mundo e o conceito dogmático das Testemunhas de Jeová?

Bom, primeiro, nem no AT nem no NT encontramos a palavra “apostata” ou “apostasia”,apropriadamente, para que a TNM assim traduza o original. Segundo, em cima de uma má tradução, não há razão para que o Escravo forme uma doutrina sobre os apostatas, demonizando-os.

Mas, talvez ainda se pergunte, por que o Escravo, sendo tão bem informado, tão inteligente, usa tanto as palavras “apostata” e “apostasia” em suas publicações bem como em sua Bíblia? A resposta é simples: Para criar uma doutrina bíblica em relação ao único tipo de pessoas que eles temem. O Escravo sabe que só existe um único tipo de pessoa, ou coisa, que pode fazer alguém se afastar da religião para nunca mais voltar: Os apóstatas e sua apostasia. Nem sofrimento, nem decepção, nem mesmo Hitler na Alemanha Nazista, consegue fazer uma testemunha de Jeová abandonar a religião, exceto os “apostatas”.

Em 1981, Raymond Franz, ex-membro do Corpo Governante, foi desassociado e, posteriormente, sua esposa Cynthia. Por causa disso, a A Sentinela de 15/9/1981 formulou uma maior seriedade ao que eles chamam de “apostata”. Mas, para as Testemunhas de Jeová, o que é uma “apostata”?

Definição: Apostasia é abandonar ou desertar a adoração e o serviço de Deus, na realidade uma rebelião contra Jeová Deus. Alguns apóstatas professam conhecer e servir a Deus, mas rejeitam ensinamentos ou requisitos delineados na Sua Palavra. Outros afirmam crer na Bíblia, mas rejeitam a organização de Jeová. (rs p. 41-p. 44)

A doutrina das Testemunhas de Jeová em relação aos apóstatas é a mais ferrenha possível. Lembra do exemplo que usei no início do artigo, sobre o filme A Vila? Essa é a analogia. O Escravo usava o medo para disseminar pavor e ódio contra pessoas que saíram da religião e agora descordam de seus ensinos. Isso ocorre, obviamente, pelo fato de que aqueles que saem por terem visto as coisas erradas e encobertas são os únicos que tem o poder para tirar qualquer um de lá de dentro de uma forma que jamais voltem.

Por muito tempo Satanás tem usado apóstatas nos seus esforços de seduzir os servos de Deus. (Mateus 13:36-39) Os apóstatas podem afirmar que adoram a Jeová e que crêem na Bíblia, mas rejeitam a parte visível da organização dele... O que querem os apóstatas? Muitos não se contentam em apenas abandonar a fé que antes talvez considerassem verdadeira. Freqüentemente, querem levar outros com eles... Como podemos nos proteger para não sermos enganados por apóstatas?... Nós ‘os evitamos’ por rejeitar seus raciocínios — quer sejam apresentados pessoalmente, em forma impressa quer na internet. Por que adotamos essa atitude? Primeiro, porque a Palavra de Deus nos orienta a fazer isso, e confiamos que Jeová sempre pensa no que é melhor para nós. — Isaías 48:17, 18. (w04 15/2 pp. 15-20)

A Organização faz o que os antigos judeus fizeram com os deuses de outras nações, os demonizam. Na citação acima, percebe-se claramente, sem meias palavras, que os apostatas são usados por Satanás e quando dizem “não se contentam em apenas abandonar a fé que antes talvez considerassem verdadeira. Freqüentemente, querem levar outros com eles...”, eles os colocam em comparação ao diabo que, na mitologia bíblica, quando se rebelou contra Deus, levou consigo os anjos.

Que métodos os apóstatas usam para alcançar seus objetivos? Eles muitas vezes recorrem a distorções, a meias-verdades e a flagrantes falsidades. (Ibidem)

Os irmãos na Organização são tão manipulados que, todos os membros conseguem repetir essa mesma frase. Tenho visto isso até mesmo aqui no blog. Veja abaixo um comentário de uma testemunha dizendo que eu deturpo as palavras dos irmãos, exatamente o que ele aprende a dizer através da Organização:



Continuando, lemos:

São apóstatas. O que querem? Eles não se contentam em apenas deixar a organização que um dia talvez tenham amado. O seu objetivo, como Paulo explicou, é “atrair a si os discípulos”. Note o artigo definido na expressão “os discípulos”. Em vez de procurar fazer seus próprios discípulos, os apóstatas tentam arrastar consigo os discípulos de Cristo. Como “lobos vorazes”, os falsos instrutores buscam devorar membros desavisados da congregação, destruindo a sua fé e os afastando da verdade. — Mat. 7:15; 2 Tim. 2:18. (w11 15/7 pp. 15-19)

Mais uma vez colocam a atividade apostata de forma demonizada, como comentado acima.

Como os falsos instrutores agem? Os seus métodos revelam astúcia. Eles ‘introduzem quietamente’ ideias corrompedoras. Assim como os contrabandistas, eles operam de modo clandestino, introduzindo sutilmente conceitos apóstatas. E, assim como um astuto falsificador tenta passar documentos falsificados, os apóstatas usam “palavras simuladas”, ou argumentos falsos, tentando passar por verdades seus conceitos inventados. (Ibidem)

Essa é a forma “amorosa” que o Escravo coloca as pessoas que deixam a religião. Para esses, somos “contrabandistas” e “falsificadores”, dentre outros adjetivos pejorativos. Para uma pessoa que é criada na Organização, imagine como a mente dela funciona ouvindo isso desde criança!

Mas a nossa disposição de ceder ou de ser razoável nunca nos deve levar a fazer concessões a apóstatas. Nossa posição clara e firme nesse respeito é necessária para manter a pureza da verdade e a união da congregação. Com respeito a “falsos irmãos”, Paulo escreveu: “A estes não cedemos no sentido de nos submetermos, não, nem por uma hora, para que a verdade das boas novas continuasse convosco.” (Gál. 2:4, 5) Nos raros casos em que surge apostasia, os cristãos dedicados mantêm-se firmes pelo que é certo. (w08 15/3 pp. 3-7)

Outra mentira que observamos aqui, é quando eles dizem que são “raros os casos em que surge apostasia”. Hoje em dia, depois de fornicação, a apostasia está em segundo lugar entre os motivos de um irmão abandonar a Organização. Em caso de fornicação, o individuo pode até desejar voltar para a Organização, mas, se for por apostasia, é sair para nunca mais voltar! E é esse exatamente o medo do Corpo Governante. Além disso, nos países em que o acesso a internet é mais fácil, menor é o crescimento das Testemunhas de Jeová. Isso quer dizer alguma coisa, não acham?

Por dar ouvidos ao Diabo e não rejeitar suas mentiras, o primeiro casal humano apostatou. Assim, será que devemos ouvir os apóstatas, ler suas publicações ou examinar seus sites na internet? Se amamos a Deus e à verdade não fazemos isso. Não permitimos que apóstatas entrem na nossa casa e nem mesmo os cumprimentamos, para não sermos ‘partícipes das suas obras iníquas’. (2 João 9-11) Jamais sejamos vítimas das tramas do Diabo por abandonar o “caminho da verdade” cristão para seguir instrutores falsos que procuram “introduzir ideologias arruinadoras” e nos ‘explorar com frases bem formuladas’. — 2 Pedro 2:1-3, Byington. (w06 15/1 pp. 21-25)

Mais uma vez a demonização dos ex-irmãos. Embora os irmãos possam dizer que não são obrigados pelo Escravo, existe uma coerção implícita. Perceba a pergunta que é feita na publicação, “será que devemos...etc”, “se amamos a Deus... não fazemos isso”. Ora, isso é coagir as pessoas a fazerem o que o Escravo quer, pois todo bom cristão quer demonstrar amor à Deus, então, necessariamente, não devemos ter contato com os “apostatas”.

[...] uns poucos têm abandonado nossas fileiras, e alguns dentre esses estão decididos a difamar as Testemunhas de Jeová por divulgar mentiras e informações falsas. Uns poucos deles trabalham com outros grupos para organizar resistência à adoração pura. Com isso tomam o lado do primeiro apóstata, Satanás.

Alguns apóstatas usam cada vez mais alguma forma de comunicação em massa, inclusive a Internet, para divulgar informações falsas sobre as Testemunhas de Jeová....Qual é o proceder sábio a seguir nestes casos?

O apóstolo João orientou os cristãos a não acolherem apóstatas na sua casa. Ele escreveu: “Se alguém se chegar a vós e não trouxer este ensino, nunca o recebais nos vossos lares, nem o cumprimenteis. Pois, quem o cumprimenta é partícipe das suas obras iníquas.” (2 João 10, 11) Evitarmos todo o contato com esses opositores nos protegerá do seu modo corrupto de pensar. Expor-nos aos ensinos apóstatas divulgados pelos diversos meios de comunicação moderna é tão prejudicial como acolher o próprio apóstata na nossa casa. Nunca devemos permitir que a curiosidade nos leve a tal rumo calamitoso! — Provérbios 22:3. (w00 1/5 pp. 8-12)

Primeiro, observamos mais uma vez a demonização feita as “apostatas”, com palavras “amorosas” para não levantar suspeitas, depois o apelo desesperado para com o uso da internet, pois nela se encontra uma infinidade de estudos, como este aqui, que mostram claramente que o papado das Testemunhas de Jeová está claramente os enganando e, por último, observamos uma apologia ao ódio contra os “apostatas”, por apontar que é extramente “prejudicial acolher o apostata na própria casa”, como se fôssemos os seres mais repulsivos da humanidade! Não é de hoje que a Organização ensina seus membros a odiarem ex-irmãos que abandonaram a religião por não mais concordar com seus ensinos. Na A Sentinela de 1952 lemos as seguintes palavras:

Temos de odiar no sentido mais verdadeiro, que é encarar com extrema e ativa aversão, considerar como uma abominação, odioso, nojento, detestar. Seguramente quaisquer odiadores de Deus não merecem viver nesta bela terra. - A Sentinela 01/10/1952, pág. 599 (em inglês)

Chocante, não acham? Mas infelizmente é exatamente esse o ensinamento da Organização. Lógico que o sentimento religioso, na grande maioria das vezes, por si só, já engendra esse tipo de sentimento odioso e violento, por isso tantas guerras e maldade no mundo. Talvez se pergunte porque as pessoas lá não se tocam disso; bom, um motivo é que, como sempre digo:

A pior maldade é aquela disfarçada de bondade.
— Por Que Não Creio.

Eles ensinam isso de uma forma tão sutil, com palavras tão caprichadas, que você nem sente. A Organização ensina esse medo e ódio aos “apostatas” por que a própria Organização nos odeia e nos teme, pois sabem que todo esse império que foi feito nos ombros de homens e mulheres enganados, podem, de um dia para outro, entrar em colapso. Por esse motivo, para a Organização fazer a Bíblia falar contra as pessoas que saem da religião, ela traduziu os originais usando as palavras “apostasia” e “apostata” e formaram esse ensino permissivo de ódio e pavor contra àqueles que chamam de “apostatas”. Imagine, por exemplo, um irmão que passa a vida inteira ouvindo que aquelas pessoas que abandonam a Organização e agora alertam outros contra a mesma – os apostatas – são usados pelo diabo e depois, em sua leitura pessoal da Bíblia, ele encontra algo do tipo:

Provérbios 11:9:

“Pela boca é que o apóstata arruína seu próximo, mas é pelo conhecimento que os justos são socorridos.”

O inimigo talvez procure dar um golpe por atacar verdades bíblicas fundamentais para a sua fé. Apóstatas podem usar palavras suaves, lisonjas e argumentos deturpados na tentativa de derrotá-lo. Mas o apóstata não está pensando em seu bem-estar. Provérbios 11:9 diz: “Pela boca é que o apóstata arruína seu próximo, mas é pelo conhecimento que os justos são socorridos.”  (w04 15/2 pp. 26-30)

Jó 13:16:

“Ele seria também a minha salvação,
Pois nenhum apóstata entrará diante dele.”

É um engano pensar que você precisa ouvir os apóstatas ou ler as publicações deles para refutar seus argumentos. O raciocínio deturpado e venenoso deles pode causar dano espiritual e contaminar a sua fé como uma gangrena que se espalha rapidamente. (2 Timóteo 2:16, 17) Em vez disso, imite o tratamento que Deus dá aos apóstatas. Jó disse a respeito de Jeová: “Nenhum apóstata entrará diante dele.” — Jó 13:16. (Ibidem)

Obviamente que isso iria coaduna-se com o ódio e o pavor que a Organização dissemina contra os “apostatas”, pois os apostatas ‘arruínam seu próximo pela boca’, e eles nunca ‘entrarão diante de Jeová’. O que toda testemunha iria pensar é: “Nunca vou ouvir um apostata e nunca vou me associar com um.” Traduzir desonestamente o original hebraico e grego por “apostata” e “apostasia” deu peso ao ensino da Organização contra as pessoas que saem da religião por não concordar mais com seus ensinos.

Observei a fragilidade das crenças da Organização no dia da minha primeira comissão judicativa. A minha primeira comissão, diante de quatro anciãos e um superintendente viajante, foi literalmente surreal. Quando o presidente da congregação teve a oportunidade de falar, suas palavras e sua reação ficaram gravadas em minha mente, eu nunca as esqueci.

Em suas mãos estavam vários emails que eu havia passado para um amigo servo ministerial sobre as coisas das quais não mais concordava. O presidente da congregação olhou para mim e disse CHORANDO: “Você tem ideia de quantas vezes eu orei a Jeová implorando para poder ler seus emails e não me contaminar? Isso aqui [segurando as folhas], mano, é VENENO, isso aqui é LIXO!”. Ao término, o superintendente ordenou que as folhas fossem queimadas e os emails deletados imediatamente e os que tiveram contato ficaram sob um tipo de “quarentena”.

Fui pra casa me perguntando, como um homem de quase cinquenta anos de idade, trinta como Testemunha de Jeová, vinte e cinco como ancião, podia ter ficado tão abalado com os argumentos de um “menino” de vinte e poucos anos na época. A resposta é clara: A doutrina da Organização é FRACA, possuindo os aspectos inabaláveis da verdade, mas por dentro sendo oca e fraca como a mentira.

§6. Somos Todos Apostatas


Talvez você tenha ficado impactado com o tema desse tópico, mas isso é a mais pura verdade: todos nós, de uma forma ou de outra, somos apostatas. Como vimos, apostata é uma pessoa que abandona uma ideologia e fica contra sua anterior posição, seja ela política, filosófica, militar ou religiosa. Agora te pergunto: Quem nunca nessa vida mudou de ideia? Desde que nos tornamos pessoas pensantes, passamos a nos apostatar de várias coisas, caso contrário, acreditaríamos até hoje em Papai Noel, Cegonha, etc.

O Sábio pode mudar de opinião. O idiota nunca.
— Emmanuel Kant.

Penso, por exemplo, no Cristianismo Primitivo. As boas-novas foram consideras pelos judeus uma “grande apostasia”. (Atos 4:24) Paulo, o maior divulgador do Cristianismo, era conhecido historicamente como Paulo, o Apostata. (DUMM, 2011, p. 133) Quando nos tornamos uma testemunha batizada, observamos que a Organização é composta por pessoas de numerosas formações religiosas, como podemos observar nas próprias publicações do Escravo.

Dessa diversidade de religiões, culturas e filosofias, saíram pessoas que agora usufruem uma unidade religiosa que não pode ser observada em nenhum outro grupo no mundo atual. (w04 1/6 pp. 5-7)

Temos ali ex-católicos, ex-evangélicos, ex-espíritas, ex-mormons, ex-ateus e assim por diante. Em outras palavras, a Organização de Jeová é uma religião composta quase que inteiramente por apostatas das mais variadas religiões!

Quando as Testemunhas de Jeová são chamadas de seita, elas costumam dizer que essa palavra, por ela mesma, não é ofensiva, pois seita é um grupo religioso que se desmembrou de um maior, apesar delas se considerarem religião. Além disso, elas mencionam que serem chamadas de seita é uma “elogio”, pois os primeiros cristãos também foram chamados de seita em Atos 28:22. Os cristãos primitivos eram assim tachados igualmente de apostatas, apostatas das leis de Moisés.

No artigo Doutrinas Bíblicas: Impressionantes ou apenas Impressão?, comentei:

Lembro-me bem quando comecei a estudar a Bíblia. Fiz um estudo sistematizado, analisando profecias, arqueologia, história secular, composição textual da Bíblia, e assim por diante. Na época, com 16 anos de idade, era tudo muito convincente, tudo parecia se encaixar em um gigantesco quebra-cabeça de extrema complexidade que, para a grande maioria das outras pessoas, permanecia sem resposta; as velhas questões relativas à quem somos, de onde viemos e para onde vamos já estavam respondidas; tínhamos conhecimento de até mesmo o que aconteceria com a Terra e a humanidade há mais de mil anos para frente... Ora, no meu caso, um mero adolescente, tudo que me era posto como verdade era fácil de ser aceito, afinal, aqueles eram os anos iniciais, por assim dizer, da formação da minha cosmovisão, já que não tinha base de quase nada, então tudo parecia ser muito lógico, até irrefutável.

Mudar de ideia é a coisa mais natural do mundo. Fazemos isso o tempo todo, todo o tempo. Qual seria o problema de fazermos parte de uma religião e depois mudarmos de ideia? Ora, se fôssemos relutantes de mudar de ideia, jamais teríamos nos tornado Testemunha de Jeová, pois alguém nos convenceu que nossa anterior filosofia de vida estava errada, o que nos levou a abandonarmos nossa anterior religião – tornando-nos apostata para a religião antiga – e assim nos batizamos como membros da Organização. Portanto, o principal requisito para aceitarmos a “verdade” foi sermos “apostatas”, melhor dizendo, sinceros e assim mudarmos de opinião.

Dessa forma, pela mesma sinceridade que me fez entrar, me fez também sair. Não por ser uma pessoa indecisa, mas porque, depois de adulto, depois de anos estudando a fundo a Bíblia e o Cristianismo, percebi que é tudo humano, que não há nada de divino.

As Testemunhas de Jeová pregam o ódio às pessoas que abandonam sua religião, proibindo o contato qualquer que for com os mesmos, pois sabem que basta uma conversa de 15 minutos com um “apostata” para um irmão esquecer anos de estudos bíblicos na Organização. A verdade não tem medo da mentira é a mentira que tem medo da verdade e é justamente por esse motivo que as Testemunhas de Jeová sentem pavor dos apostatas, porque possuem uma doutrina tão fraca, tão fácil de se rebater, que não daria muito trabalho para convencê-las. O problema, no entanto, é que são doutrinados a terem o seguinte comportamento:


Nota aos TJs zelosos que vem ao meu blog: Antes de comentar alguma coisa aqui me xingando, me chamando de recalcado, jumento e coisas dessa natureza, pense no que você está fazendo na internet olhando matéria “apostata”. Depois, qual seu conhecimento do hebraico e grego original para discordar, quais as referências extra-organização você pode citar como contra argumento? Se não gostou do que leu porque isso critica suas convicções religiosas, me pergunto o que você esperava ouvir ao entrar em um blog cujo título é POR QUE NÃO CREIO. Se quiser me xingar de “apostata”, lembre-se que o significado no original é “hipócrita”, e hipócrita, entre outras coisas, é aquele que acusa outros quando ele mesmo faz a mesma coisa, assim, como você me chama de apostata e está na internet justamente lendo matérias “apóstatas”? Se depois disso ainda quiser comentar asneiras, saiba que vou ler, vou RIR de você, só então deletarei seu comentário.

_____________

NOTAS

[1] APOSTATA, acessado dia 19/07/2013.
[2] O Escravo já é conhecido por deturpar o significado de palavras-chaves, como no caso de porneía. Veja: O Sexo entre as Testemunhas de Jeová
[3] Hebrew and Chaldee Lexicon by Friedrich Wilhelm Gesenius (1846), acessado dia 19/07/2013.
[4] STRONGS NT 647: ἀποστάσιον, acessado dia 19/07/2013.
[5] DESPOTA, acessado dia 19/07/2013.

Bibliografia

PACOMIO, Luciano. MANCUSO, Vito. et al. Dicionário Teológico Enciclopédico. São Paulo. Edições Loyola. 1993
CALMET, Augustin. Dictionary of the Bible. Nova Iorque. Crocker and Brewster. 1832.
BOTTERWECK, G. Johannes. RINGREEN, Helmer. Theological Dictionary of the Old Testament. Wm. B. Eerdmans Publishing. 1981
RABELAIS, François. The works of Francis Rabelais. Vol. IV. Gale ECCO. 2010.
HAGAN. Scott. They Walked With the Savior. Charisma House. 2002.
ROBERTSON, Carrol. The Christ: His Miracles His Ministry His Mission. New Leaf Publishing Group. 2005.
BEVERE. John. Thus Saith the Lord: How to Know When God Is Speaking to You. Nova Iorque. Charisma Media. 1999.
GABLE, Mel. Heavenly Signs: Grand Design for Christ's Return. Westbow Press. 2012.
TODD, Henry Alfred. The Romanic Review. Nabu Press. 2010.
YOUNG, Robert. Analytical Concordance to the Bible. Nova Iorque. I.K Funk and Company. 1881.
SMITH. C. Ryder. The Bible Doctrine of Sin: And of the Ways of God. Epworth Press. 1953.
WILDE, Gary. Sermon on the Mount: Wisdom of the Kingdom. D.C. Cook Pub. 1986.
CALVINO, John. John Calvin's Commentaries On Isaiah 1- 16. Online.
RICHARDSON, Alan. A Theological Word Book of the Bible. Nova Iorque. MacMillan Pub. 1962.
TRAVIS, Charlotte. A Study of Ezra and Nehemiah: Restoration Through Comfort and Strength. Crossbooks Publishing. 2011.
HAMMOND, Henry. A Paraphrase and Notes ont he New Testament. Oxford University Press. 1845.
MILTON, John. Paradise Lost: The Biblically Annotated Edition. Georgia. Mercer University. 2011.
CHAPMAN, C.R. Apocalyptic Tremors: Study the Revelation Like Never Before. Westbow Press. 2011.
SCHÖKEL, Luis Alonso. Dicionário Bíblico Hebraico-Português. São Paulo. Paulus. 1997.
GENESIUS, Friedrich Wilhelm. Hebrew and Chaldee Lexicon. Online 1846.
COTTRELL, Raymond Forest. The Seventh-Day Adventist Bible Commentary: 1 Chronicles to Song of Solomon. Review and Herald Publishing Association, 1977.
WALTKE, Bruce K. The Book of Proverbs: Chapters 1-15. Wm. B. Eerdmans Publishing, 2004.
KNOWLING, R. J. The Expositor's Greek Testament. Hodder and Stoughton, 1912.

32 comentários:

  1. Esse post cabe em minha vida também, não fui TJ, mas SUD(Mórmon). A técnica para manter ligado a corporação é a mesma. Triste e lamentável.
    Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma vez eu fui conduzir um estudo bíblico com um mórmon e percebi que havia muitas coisas parecidas nesse sentido, coisas técnicas. Quando outros mórmons chegaram lá na casa dele, o chamaram atenção, dizendo que era apostasia, etc. Mesmo nesse tempo comecei a observar que não era algo exclusivo das TJs e que, nesse caso, era tudo muito humano, homens tentando manter outros mentalmente prisioneiros em suas respectivas crenças e dogmas.

      Muito lamentável realmente.

      Excluir
  2. aquele que se diz teu irmão copiou este artigo e nem deu as devidas onras:

    http://estudopessoal.blogspot.com.br/2013/08/as-testemunhas-de-jeova-logradas-por-um.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá TJ7,

      Fico grato pela visita e, em especial, por já ter trocado emails com você há algum tempo atrás. Primeiramente, o camarada do blog indicado não é meu irmão, não comungo com suas ideias de deuses extraterrestres ou coisas parecidas, não possuo nenhum vínculo ideológico com a figura em questão.

      Visitei o link citado e no final do artigo ele disse:

      "Matéria originalmente escrita pelo irmão Eduardo Galvão."

      Acho que isso indica que não foi ele o escritor. Apenas o adverti para colocar um link e não copiar na íntegra um texto, pois o Google odeia textos repetidos.

      Apesar dele me chamar de "irmão", eu não o sou, não faço parte de nenhuma denominação religiosa, muito menos uma que cultua ETs. Em outros artigos, ele me denominou "ungido" pelos deuses, coisa que, com certeza, não o sou.

      Obg mais uma vez pelo alerta e pela visita.

      Excluir
  3. Impecável e preciso são os mais simples adjetivos que poderia usar pra definir este post. Embora tenha um conceito próprio e repugnante do que as TJ´s são e representaram para mim e minha família, não tinha me deparado com um tão objetivo e certeiro: "uma religião puramente humana, desencaminhantemente opressiva e manipuladora". Não tenho dúvidas que vários TJ´s acessando ou não este blog, concordam com os seus argumentos, percebem que fazem parte de uma ficção mas optam por permanecerem como sócios contribuintes do "Gran Club TJ" porque para muitos deles, os amigos que lhe restam são também sócios do clube, e perdê-los significaria um recomeço muito traumático. Felizmente não criei laços que me prendessem àqueles hipócritas e pude tomar de volta o controle da minha vida e dos meus filhos, e assim, no sentido oposto aos que eles desumanamente praticam, eu que tomei a iniciativa e os desassociei das nossas vidas. Como diria a Valdirene, hoje não sou mais completamente burro, agora sou "inteligência pura" - fui curado da ignorância a tempo de recomeçar do ponto exato onde literalmente parei de viver.

    ResponderExcluir
  4. Não fui eu quem fez estes comentários acima. de fato, estranhei quando vi o nome 'tj7' associado a meu blog.

    ResponderExcluir
  5. Sou um apóstata assumido. Dou graças a Jeová por ser um apóstata. O próprio Jeová me pede para ser um apóstata das filosofias humanas.
    TNM reza:
    (Ezequiel 18:27-29) 27 “‘E quando o iníquo recuar de sua iniqüidade que praticou e passar a praticar o juízo e a justiça, é ele quem preservará viva a sua própria alma. 28 Quando vir todas as suas transgressões que praticou e recuar delas, positivamente continuará a viver. Não morrerá. 29 “‘E a casa de Israel certamente dirá: “O caminho de Jeová não é acertado.” Quanto aos meus caminhos, acaso não são acertados, ó casa de Israel? Não são os vossos caminhos que não são acertados?’. . .
    __________________________
    RECUAR DE UM CAMINHO é a coisa mais normal do mundo, no entanto, muitos classificam tal atitude como um grave erro.
    Uma vez iníquo, sempre iníquo??
    Se todos estamos aprendendo, se todos estamos na mesma sala de aula e se todos somos meros frutos da informação atual existente em nossos cérebros criados pra este fim, como é um pecado apostatar de um ensino anterior??
    _________________________
    Meus olhos vêm a todos os demais humanos como IRMÃOS de sangue, afinal de contas, TODOS temos a mesma origem.

    SE MUDAMOS DE OPINIÃO em face das informações recebidas, independente da informação que alguém tenha em sua mente agora, ele não deixa de ser meu irmão.

    Meus olhos é que determinam se uma pessoa é ou não meu irmão.
    No entanto, eu devo perceber qual é a realidade vista pelo Pai.

    Eu digo em alto e bom bom som, repetindo aquilo que o Pai me pediu para dizer a Ele: Nosso Pai que está nos céus.
    _____________
    Ele quer que eu veja e reconheça a minha condição de filho e de irmão dos demais, uma igualdade que muitos não estão dispostos a aceitar.
    Isto também é temporário.

    ResponderExcluir
  6. TUA POSIÇÃO É FORTE, MAS, no meu ver, protege pessoas de sentirem "vergonha" de terem feito algo abominável.
    __________
    Nota aos TJs zelosos que vem ao meu blog: Antes de comentar alguma coisa aqui me xingando, me chamando de recalcado, jumento e coisas dessa natureza, pense no que você está fazendo na internet olhando matéria “apostata”.
    ______________________________
    Não seria melhor manter a prova da coisa abominável praticada por aquele que se coloca como "justo", para que ele se envergonhe grandemente quando confrontado com esta maldade praticada??
    __________________________
    Lembre-se que o Pai NÃO PRATICA O VERBO IMPEDIR.
    Impedir é uma ação de tirania, é uma ação de que ainda não respeita o livre-arbítrio.
    Jeová não impede o falso profeta de falar, aliás Ele NUNCA impediu o humano de se expressar e NUNCA condenou o humano que se espressa livremente.
    Ele é um Sábio Professor.
    O aluno deve externa toda a sua ignorância, ele deve ter tal liberdade.
    ________
    Não é este um ângulo interessante??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. porqueO Túmulo Memorial de Charles T. Russell o criador da seita TESTEMUNHAS DE JEOVÁ do seu lider e a sim ?

      Excluir
  7. Descobri como o rapaz fez para associar o nome ao meu blog se fazendo passar por mim. Ele comentou na opção NOME/URL, e assim associou o nome 'tj7' a url escolhida, a saber, meu blog. Porém, basta ver a diferença entre as imagens de perfil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TJ7, pra mim não faz qualquer diferença ter sido você ou outra pessoa, pois a resposta teria sido a mesma. Obg pelo esclarecimento e seja bem vindo.

      Excluir
    2. Claro, obrigado pelas boas vindas, apenas vim aqui destacar que não sou eu quem tem feito estes comentários, e fico feliz se cada vez que você perceber que é alguém se fazendo passar por mim, você deletar a mensagem, pois somente pelo meu perfil eu faço comentários ou respondo somente em meu e-mail. Abraços e fique com Yah.

      Excluir
  8. Olá mais uma vez! Dos sites de ex-membros da Organização milonária STV Inc, este é o que me transmitiu mais conhecimento dos métodos muitas vezes sútis de prender as pessoas psicológicamente em suas masmorras.

    Sempre me perguntei sobre as palavras "apostatas" que estão na TNM que, de fato é uma tradução com diversas deturpações, a fim de se encaixarem com as doutrinas inventadas por Russel. Nunca cheguei a comparar outras traduções e achava que os versículos mencionados, também teriam as palavras apostatas.

    Para as TJs é muito, muito difícil se desligar desta programação a que são sujeitas, principalmente se forem criadas desde a infância. Conheço várias Tjs depressivas, talvez por não poderem se expressar de maneira aberta as suas dúvidas e, literalmente, enganado a si mesmas.
    Como disse antes, fui TJ po pouco tempo, tendo sido "anulado" o meu batismo. Hoje - que alívio - não preciso sair de casa em casa.
    Existe também um processo de patrulhamento, que é baseado na interpretação de Levítico 5:1, a qual obriga qualquer TJ que vier a saber de alguma transgressão contra a religião, que é a de delatar a pessoa a "confessar" aos pastores, e se não o fizer, a pessoa "amorosamente" o fará.
    Isso cria o clime de medo mútuo entre os membros. Realmente, a Torre realmente é de "vigia". Ela vigia a vida de cada um.

    Jorge Araújo

    P.S: Como estou em ambiente corporativo, não posso entrar com minha cobta no Google



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jorge, concordo plenamente. É difícil assistir o filme Matrix e não se lembrar da Organização, eu ainda fiquei cativo por 12 anos.

      Excluir
  9. Eu realmente achava que aquilo era a verdade, mas acordei, mas falo que mesmo depois de ter visto a verdade, é difícil para min, não sei como me expressar agora, mas digo que sinto agonia por estar fora de lá, mesmo sabendo que aquilo esta errado, ainda sinto-me mal, como se estive-se fazendo uma coisa errada estando negando tudo aquilo, aquela religião humana, é difícil pra min entrar em qualquer outra religião, pois agora, fico procurando base sempre na Bíblia sobre tudo, não quero mais ser enganado, peço a Deus para que me ilumine para o caminho certo, pois a lavagem cerebral que foi feita em min me machuca de mais.

    ResponderExcluir
  10. Olá, saudações!

    Já fui TJ por pouco tempo, mas minha esposa ainda está ligada à organização. Tive meu batismo cancelado pela "Watch Tower Corp", devido ao meu atual emprego não ser permitido e somente "perceberam" isso depois de batizado. Agora sou apenas um acompanhante de minha esposa que é TJ inflexível, daquelas que ouvir alguma coisa contra o "Escravo", vira bicho.
    O que me tem prendido a "fraternidade" é a minha já idosa mãe.
    Mas, em consideração ao tópico, quero agradecer por esclarecer algo que sempre me intrigou, que era ver na bíblia TJ a expressão apóstata, principalmente em Provérbios 11:9.
    Pretendo encontrar outra bíblia para comparar e mostrar para um dos "Mestres Jedi", para me darem a sua explicação a respeito.

    Parabéns rapaz, por ter este dom de estudo e erudição, que evidentemente tens.

    Desculpe não entrar com meu nome e perfil, pois isso poderia me trazer problemas, mesmo não sendo TJ "oficial".

    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre muito bem vindo! E sucesso na sua caminhada!

      Excluir
  11. Olá Eduardo Galvão (belo nome e sobrenome). Sou dissociado das Testemunhas de Jeová já faz dois anos, tendo eu estado com eles, desde meu primeiro estudo até minha última reunião, por 8 anos. Sabe o tal "espírito santo"? Pois é, nunca o senti naquelas reuniões mecanizadas e repetitivas, sempre "mais do mesmo". Sabe o tal "amor cristão" tão apregoado pelo marketing TJ? Nunca vi nem traço dele; o que sempre vi, nas três congregações a que pertenci, nas várias outras que visitei, e nos dois circuitos ao qual pertenci, foi uma gama de pessoas prontas para julgar, acusar, vexar, difamar, agredir, passar rasteira, caluniar e se divertir com a desgraça alheia, quais demônios. Sabe aqueles jargões de "povo feliz separado para Jeová" e "paraíso espiritual"? Nunca percebi a mínima existência de nenhum dos dois; ao contrário, a maioria das Testemunhas de Jeová que eu conheço são pessoas frias e calculistas, duras como uma pedra, ou então invejosas, mesquinhas, pequenas, amarguradas e melancólicas. Além do quê, o clima nos Salões do Reino quase sempre era ruim: sempre algo estava acontecendo nos bastidores, sempre rumores corriam pelas paredes, sempre havia alguma rixa velada por ali... Quanto cristianismo naquele lugar!

    Hoje, sou temido como se eu fosse um dos filhos de primeira linhagem de Satanás. Eu sei como é esse medo irracional, senti-o ao deparar-me com "apóstatas" no ministério de pregação de casa em casa, quando eu era TJ. Perdi muita coisa enquanto ainda estava na seita, mas saí a tempo de não ter minha vida totalmente destruída.

    Custei a ler todo o seu artigo, pois é bem grande e técnico, mas só posso dizer uma coisa sobre a leitura finda: ESTONTEANTE! Você sabe mais da Bíblia e do léxico grego e hebraico da mesma do que o louco desvairado e autoproclamado irmão de Jesus, Frderick Franz, responsável maior pela tradução da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  12. Leio há vários anos as publicações das TJs e me deparei com as advertências contra os apóstatas. Entendi que elas acreditam piamente viverem a verdade bíblica e que assim protegeriam seus membros contra perderem a vida eterna. Entendi como uma atitude paternalista. Como pai eu alertaria contra quem que eu achasse representar perigo para meus filhos. Não conheço aqueles que estão na direção-geral da religião para afirmar que suas intenções são sinceras e paternalistas. Mas conheço alguns líderes delas, que chamam anciãos, e os considero sinceros e não-ávidos de poder como alguns religiosos que não querem perder um dizimista (não há o dizímo entre as TJs). Na realidade, os que conheço são homens financeiramente bem-sucedidos, com famílias e que, apesar não receberem um tostão pela atuação dentro da religião, fazem a coisa com entusiasmo. Tenho parentes TJs e já assisti as reuniões delas em várias cidades e pude fazer uma avaliação melhor. Em algumas notei uma certa frieza e indiferença, mais na maioria fui bem recebido. Em algumas tive uma recepção tão calorosa que fiquei constrangido. De qualquer modo, fiquei impressionado que na maioria fui bem recebido e que mesmo nas mais frias sempre havia alguém que demonstrava interesse por mim. Ao indagar da razão por nem todo lugar ter sentido o mesmo espírito fraterno, recebi resposta que nos tempos bíblicos também era assim e foi citado como prova as igrejas mencionadas no livro de Apocalipse. Acho que deu para perceber que tenho um conceito favorável em relação às TJs. Na internet já vi muita coisa contra as TJs. Tenho tido respostas razoáveis para muitas das coisas que leio, outras já descarto de imediato e algumas atribuo ao que autor do blog disse: é uma instituição humana e não divina. Mas acho interessante que não vejo tanto antagonismo contra uma religião como entre parte dos ex-membros das TJs. Claro que algumas religiões não se incomodam com vozes contrárias. Mas há outras que são mais conservadoras, como as TJs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Entendi como uma atitude paternalista”.

      R.: Você é trabalhador, honesto, paga suas contas, é respeitador e considerado um excelente cidadão. Apenas ocorre que, por uma mera questão de visão, você não concorda que não devemos votar, por exemplo. Tu vota. Por causa disso, tu é desassociado, por ser desassociado você pede o convívio de amigos e família. Essa é uma atitude paternalista? Um pai que impede o filho de ter amizades com garotos negros por acredita de coração que os negros são ração ruim é ser paternalista? Então da mesma forma, expulsar pessoas da religião por tolice e impedir que todas as pessoas que te amam falam com você é idiotice e não paternalidade.

      “Não conheço aqueles que estão na direção-geral da religião para afirmar que suas intenções são sinceras e paternalistas”.

      R.: Ancião não é nada, não faz nada, é manobrado como todos. Eles só fazem o que aprenderam e obedecem sem questionar.

      “De qualquer modo, fiquei impressionado que na maioria fui bem recebido e que mesmo nas mais frias sempre havia alguém que demonstrava interesse por mim”.

      R.: O ser humano é muito carente. Basta receber um aperto de mão, ou ouvir o nome que se derrete. Eles não têm interesse por você, eles têm interesse em que você faça parte da religião e seja mais um trabalhador voluntário.

      “Acho que deu para perceber que tenho um conceito favorável em relação às TJs”.

      R.: Deu sim, é claro. Quando você decide que eles são “bons”, “santos”, etc, eles podem pedir pra matar um membro da sua família que você vai tentar interpretar isso como algo amoroso, bondoso e justificável.

      “Mas acho interessante que não vejo tanto antagonismo contra uma religião como entre parte dos ex-membros das TJs”.

      R.: É porque você não é pesquisador da religião. Existem centenas de site e grupos contra Mórmons e a Igreja Universal, mas como você é favorável as TJs, sua mente tende a enxergar apenas eles, como santos que são perseguidos pela fé.

      Excluir
  13. Eduardo G. Junior, conheço sim site e grupos contra outras religiões. Já assisti vídeos, li blogs, comentários, etc, de ex-membros da IURD e SUD. Acrescento a sua lista a militância de ex-adventistas. Já li artigos, sites e blogs de ex-adventistas. Mas, é fato, a militância deles é menor que os ex-membros das TJs. Claro que não encaro a sua militância à semelhança de outros ex-TJs. Alguns não ficam apenas apontando aquilo que lhes desagradou, mas partem para a divulgação de calúnias. Entendo que você ficou descrente da inspiração bíblica e aqui tenta convencer outros do mesmo. Disse-lhe que tenho um conceito favorável sobre as TJs e não que são "santos". Quanto à possibilidade das TJs pedirem para alguém matar alguém, você sabe que não existe e deixou de lado a razão.

    ResponderExcluir
  14. “Mas, é fato, a militância deles é menor que os ex-membros das TJs. Claro que não encaro a sua militância à semelhança de outros ex-TJs”.

    R.: Então é pela intensidade? Quanto mais perseguidos mais... inocentes ou corretos são? Não vejo sentido nisto. Outra coisa, existe sim uma lógica deles serem mais odiados. Nenhuma religião furta tanto você como as TJs. Essas outras denominações não expulsam você proibindo seus amigos e familiares de terem contato contigo, essas outras denominações não proíbem transfusões de sangue, essas outras denominações não isolam as pessoas socialmente, essas outras denominações não te cobram a dedicar uma infinidade de horas pregando por algo que lá na frente você vê ser em vão, essas outras denominações não possuem leis irracionais contra estupro, como o famoso caso de uma adolescente desassociada porque ao ser estuprada não gritou por socorro. Eu sempre digo, só sabe a dor e o prejuízo causado por esta religião que um dia já foi dela, NADA que eu diga, chega perto.

    “Alguns não ficam apenas apontando aquilo que lhes desagradou, mas partem para a divulgação de calúnias”.

    R.: Então na política por que um grupo calunia outro faz do caluniado certo? Não vejo como você se apega a isso como evidencia de alguma coisa... se as pessoas metem contra as TJs, que é a minoria, e daí? TJ não calunia? Veja as despertai sobre os mórmons... muita coisa ali é mentira, pois já tive várias visitas e eles mostraram nos livros que era tudo mentira.

    “Entendo que você ficou descrente da inspiração bíblica e aqui tenta convencer outros do mesmo.”

    R.: Pois então, algo que aprendi com as TJs que andam de casa em casa convencendo as pessoas, mas ficam com ódio se você tentar convencê-las. Não entendo esta lógica.

    “Disse-lhe que tenho um conceito favorável sobre as TJs e não que são "santos".”

    R.: Foi uma hipérbole.

    “Quanto à possibilidade das TJs pedirem para alguém matar alguém, você sabe que não existe e deixou de lado a razão.”

    R.: Má hermenêutica sua. Eu disse, “eles podem pedir pra matar um membro da sua família que você vai tentar interpretar isso como algo amoroso, bondoso e justificável”. O verbo modal “podem” significa possibilidade como exemplo. Não disse que eles fazem isso, mas exemplifiquei que a coisa é tão gritante que não me admiraria se isto ocorresse. Mas, no entanto, ao parecido ocorre. Você sabe o que é COLI? Eu fui a reuniões dela e já vi os anciãos abertamente insistirem que o garoto não tomasse sangue, o médico disse que ele iria morrer se não o fizesse. Pressionar a mãe falando de desassociação e dizer para não tomar a transfusão é condenar a morte e juridicamente muitos processos rodam por causa disso, pois é um homicídio “passivo”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Nenhuma religião furta tanto você como as TJs. Essas outras denominações não expulsam você proibindo seus amigos e familiares de terem contato contigo, essas outras denominações não proíbem transfusões de sangue, essas outras denominações não isolam as pessoas socialmente, essas outras denominações não te cobram a dedicar uma infinidade de horas pregando por algo que lá na frente você vê ser em vão, essas outras denominações não possuem leis irracionais contra estupro, como o famoso caso de uma adolescente desassociada porque ao ser estuprada não gritou por socorro. Eu sempre digo, só sabe a dor e o prejuízo causado por esta religião que um dia já foi dela, NADA que eu diga, chega perto."
      Ouso discordar dessa parte, Eduardo. Tirando a parte da transfusão sanguínea, os SUDs fazem o mesmo que os TJs.

      Leandro

      Excluir
    2. Sério? Eu não sabia Leandro... confesso que conheço muito pouco do sistema organizacional dos SUDs. Eles desassociam pessoas que descordam também? Proíbem os membros da família de falar com tal pessoa? Nas TJs é uma lei literalmente, seu nome é mencionado publicamente e absolutamente NINGUÉM pode dirigir a palavra para você, mesmo um "bom dia", correndo o risco de ser igualmente desassociado.

      Acho também que as transfusões terminam, na minha opinião, destacando o sofrimento. Não sei se é comum nos SUDs de membros morrerem pela fé, mas como isso é extremamente comum entre as TJs, é um ponto de destaque que, ao meu ver, Eduardo, coloca a religião em um patamar mais absurdo, pois conheci muitos pais que perderam seus filhos, maridos as esposas e as esposas os seus maridos, tudo pela recusa da transfusão que, inclusive, é tema de matéria jornalística. É como se o SUDs tivessem 10 formas de te fazer sofrer e as TJs têm 11. Mas enfim, a piori, acho muito pessoal, e como disse, não vivi como SUDs, então não sei, assim como quem não foi TJ também não o sabe...

      As vezes que fui visitado pelos mórmons eles sempre diziam que eram parecidos com as TJs, mas sempre me soou algo do tipo "somos parecidos, mas não tão gritante como eles". De qualquer forma, estou aberto a esclarecimentos caso queira fornecer. Futuramente quero abordar também eles e vou precisar de informações em primeira mão.

      Excluir
    3. Oi, Eduardo.
      Eu fui SUD por um bom tempo e lá é muito parecido com os Tjs.
      Tem um excelente site sobre os SUDs, com MUITA referência(reserve tempo para ler!): http://investigacoessud.blogspot.com.br/2011/01/doutrina-sud-os-apostatas.html

      Abraço.

      Leandro

      Excluir
  15. A melhor explanação que ja li na net sobre o assunto em questão!! exelente Eduardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dudu vc não conseguiu. Servir a Jeová é pra poucos. Mais quem sabe ainda há tempo.

      Excluir
    2. Anônimo, Graças a Deus eu não consegui, imagina eu ter perdido toda a minha vida em uma seita sem futuro como essa? Não é atoa que a depressão é um mal sempre presente entre as Testemunhas de Jeová. Graças a Deus, também, que ser TJ é para poucos, o que significa que serão poucas as pessoas vivendo a utopia de uma vida insignificante. Acredito que seu senso comum e lógica já tenham feito duvidar de algo, mas você também não conseguiu ir atrás, entregou nas mãos de Jeová e continua a crer cegamente. Mas, enfim, ainda há esperança, como ocorreu também com Franz, ex-membro do Corpo Governante, que demorou 5 décadas pra sair, uns demoram mais, outros menos, mas os honestos sempre saem... Sair dessa religião foi, sem dúvida, a melhor coisa que fiz na vida.

      Excluir
  16. Qualquer pessoa que deixe de apoiar uma ideia seja ela filosófica, militar, politica ou religiosa pode ser considerada um apóstata no sentido de que estar em oposição. Contudo, o verdadeiro apóstata á que a bíblia fala tem o sentido restrito da palavra, se trata de uma pessoa que seguia o VERDADEIRO ensino cristão e o abandonou DELIBERADAMENTE por um ou outro motivo e passa influenciar outros MESMO convicto de que o seu anterior ensino é o corretamente bíblico e o faz de modo ENGANADOR mesmo consciente no seu íntimo de que o que diz não é a mais pura verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elves, obrigado pela visita.

      Muito provavelmente você é TJ pelo que escreveu acima. Gostaria de considerar algo, embora acredite que você não vá voltar aqui para ver a resposta.

      1° Estamos falando de idioma: Ninguém pode mudar o significado das palavras, porque o idioma não é propriedade da sua "religião". A palavra "Deus" nas religiões evangélicas provavelmente significa e é compreendida da mesma forma que "Deus" na sua, então por que a palavra "apostata" tem um significado todo especial na sua? Vocês podem até querer inventar um novo significado, mas não terão o apoio de uma nação inteira que usa o idioma, serão apenas um seita bizarra que muda o significado das coisas para se ajustar à suas crenças. Normalmente, isso é traço de seita, que usa um vocabulário todo diferente do restante da humanidade.

      2° Má tradução: Mostrei acima que a palavra "apostada" não se encontra na Bíblia original hebraico-grega no sentido que é usada pela seita das TJs. Mostrei com dicionários e diversas citações que a Tradução do Novo Mundo inventou este significado para poder ostracizar seus anteriores membros. Você teria que argumentar usando algum conhecimento do grego e do hebraico, porque só afirmando com suas palavras não tem qualquer importância aqui.

      3° Julgamento do coração: Quando fiz parte da seita, sempre aprendi que só Jeová pode julgar nossos corações e saber o que realmente pensamos no íntimo. Na prática, me parece que não é isto que acontece. Como você pode dizer que alguém "abandonou DELIBERADAMENTE... passando a influenciar outros MESMO convicto DE QUE seu anterior ensino é o correto... fazendo de modo ENGANADOR?" Vocês leem o coração da pessoa? Cara, a pessoa que tem que ser muito INFANTIL pra achar que um ser humano que abandona essa seita vai gastar o tempo dele enganando vocês só pra tirar do salão do Reino. Na moral, a gente tem mais o que fazer na vida. É muita estupidez achar que esses "apóstatas" são pessoas que sabem lá no coração que estão errados, sabem que ali é a única religião verdadeira, sabem que estão errados, mas se tornaram iníquos, safados, imorais, podres, imundos, a pior raça da humanidade e agora DELIBERADAMENTE tentam desviar outros, só posso RIR de um pensamento desses. Sinceramente, vocês vivem em um mundo de ilusão, imaginário, pobres cordeirinhos que seguem o Escravo aonde quer que ele deseje.

      Eu duvido você achar no meu blog alguma matéria que exorte as pessoas a deixarem as TJs. Tu gosta da sua "religião"? Gosta de comer a comida que servem ali, sem nunca ter feito uma pesquisa sua mesmo? Sem nunca ter conhecido o grego e o hebraico? Gosta de abrir mão de toda sua vida por uma utopia de Novo Mundo que NUNCA vai vir? Meu velho, CONTINUE, esse é meu conselho: CONTINUE SENDO TESTEMUNHA DE JEOVÁ... porque o pior castigo que uma pessoa sem discernimento, infantil, crédula, defensora daqueles mesmos que a oprime, pode merecer na vida é gastar toda a sua existência em uma seita pra depois que tiver com 80 anos, olhar para trás e ver que tudo foi em vão, que não vai existir nenhum Novo Mundo e que foi ENGANADO a vida inteira. Este SIM, ESTE é o verdadeiro castigo que cabe a qualquer TJ fanática que acha que nós aqui de fora é que estamos tentando enganá-la.

      Quando você tiver feito uma pesquisa profunda sobre o significado da palavra no grego e no hebraico, dai você volta pra falar algo, porque sua definição de "apostata" só existe nesse "mundinho perfeito" das Testemunhas de Jeová.

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site