segunda-feira, 15 de julho de 2013

Nascimento Milagroso de Buda e Jesus

por Eduardo Galvão

JESUS, BUDA, NASCIMENTO, MILAGRE
Na mitologia, o tema do nascimento de um Salvador é sempre recorrente. A diegese é sempre a mesma: O mundo está dominado pelas forças das trevas, muita dor e sofrimento assolando as pessoas. No entanto, desde há muito, jaz uma profecia sobre um salvador, um escolhido, que haveria de vir ao mundo para salvar a todos e reestabelecer a paz e a ordem.

Essa ideia de salvação, vinculada à alguma profecia sobre um pretenso resgatador pode ser observada em inúmeras histórias, mitos, lendas dos quais muitos foram inspiração para diversos filmes. Eldredge (2007) diz, relembrando os protagonistas de vários filmes:

Jack virá para salvar Rose. William Wallace se levantará para resgatar a Escórcia. Luke Skywalker resgatará a princesa e libertará os povos do universo... Neo destrói o poder de Matrix e liberta o mundo cativo. Aslan chega para resgatar Nárnia. (p. 76)

Essas ideias são sempre repetidas devido nossa necessidade psicológica coletiva de aparo, nosso olhar otimista que, no futuro, tudo vai acabar bem, pois algo ou alguém nos salvará. Se isso é verdade nos contos, obviamente que a religião não ficaria isenta dessa particularidade. Na verdade, é justamente dentro dela que mais encontramos a ideia de salvação e profecias sobre um redentor.

Nessa postagem, gostaria de comenta sobre as similaridades no nascimento profético e sobrenatural de Buda e Jesus Cristo. De fato, já havia comentado em outros artigos sobre as semelhanças entre esses dois líderes religiosos, textos esses que podem ser acessados abaixo, se desejar:

Cf. Similaridades no Nascimento de Buda e Jesus
Cf. Buda, Caminho, Verdade e Vida
Cf. Descrições de Buda e Jesus Cristo

No artigo em questão, gostaria de abordar uma semelhança diga de nota no nascimento de Buda. No Livro I de Budacarita, versículo 20, encontramos a descrição da forma sobrenatural em que o espírito do iluminado Buda desceu dos céus espirituais para encarnar na pessoa de Sidarta Gautama. Assim, lemos no original:

dhṛtvā himādridhavalaṁ guru ṣaḍviṣāṇāṁ dānādhivāsitamukhaṁ dviradasya rūpam | śuddhodanasya vasudhādhipatermahiṣyāḥ kukṣiṁ viveśa sa jagadvyasanakṣayāya || 1.20*

1:20. Assumindo a forma de um enorme elefante branco como Himālaya, armado com seis presas, com sua face perfumada com icor que flui, ele entrou no ventre da rainha do rei Śuddhodana, para destruir os males do mundo.

O que isso nos lembra em termos de elementos mitológicos nos relatos evangelísticos? Bom, assim como o espírito vital de Buda entra no ventre de sua mãe miraculosamente por meio de uma forma animal, ou seja, de um elefante branco, Jesus também foi enviado dos Domínios Espirituais e foi gerado por meio do Espírito Santo, que, no caso da teológica judaico-cristã, era representado pela zoomorfia, quer dizer, assumia a forma de um animal, no caso, uma pomba branca, conforme podemos conferir em Mateus 3:16 e Lucas 1:30-35 onde lemos:

Mateus 3:16 - E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.
Lucas 1:30 - Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus, 1:31 E eis que em teu ventre conceberás, e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. 1:32 Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai, 1:33 e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim. 1:34 E disse Maria ao anjo: Como se fará isso, visto que não conheço varão? 1:35 E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.

Além dessa semelhança zoomórfica, também observamos uma similaridade no que diz respeito ao objetivo do nascimento de Jesus e Buda. No caso desse último, temos o testemunho de que ele nasceu “para destruir os males do mundo”, assim como Jesus nasceu para “a ruína... de muitos em Israel” (Lucas 2:34), cuja vida e sacrifício iria “desfazer as obras dos diabo”. – 1 João 3:8d .

Se apanharmos todas as características cristológicas neotestamentárias, conseguimos achar paralelos em vários mitos ao redor do mundo. Se você é novo no blog e está lendo esse artigo pela primeira vez, saiba que não estou dizendo que Jesus de Nazaré não existiu. O que quero dizer é que as características do Jesus bíblico apresentadas nos Evangelhos canônicos são puramente mitológico-judaico-pagão, como argui no artigo Jesus como Mito Judaico. Além disso, se achar que essas semelhanças são todas coincidências, obterá uma resposta no artigo Cristianismo e os Mitos: Apenas Coincidência?.



Bibliografia

ELDREGDE, John. O Evangelho Segundo Deus: A História que Deus quer contar e você quer ouvir. Rio de Janeiro. Thomas Nelson Brasil. 2007.

Versões da Bíblia

Bíblia de Estudo Shedd. João Ferreira de Almeida Atualizada e Corrigida. São Paulo. Nova Vida. 2007.

Sites Acessados

Book I: [Bhagavatprasūtiḥ], acessado em 15/07/2013.

Um comentário:

  1. Estou gostando muito das suas matérias, parabéns! Sou monge Budista da tradição Tiantai e segundo esta escola, os mitos e acontecimentos sobrenaturais são apenas uma linguagem poética que visam incitar a imaginação a perceber uma Verdade Universal, além de qualquer tentativa de conceitualização puramente "racional".

    Ou seja, a roupagem pretensamente histórica é apenas uma capa e a importância de historicidade destes fatos é apenas um "meio hábil" para a compreensão da mensagem em si.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site