terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Análise das Profecias do Livro de Apocalipse
por Eduardo Galvão

PROFECIAS, APOCALIPSE, BÍBLIA, NOSTRADAMUS
Sempre recebo perguntas relacionadas às profecias bíblicas, sendo as mesmas usadas como prova da inspiração divina das Escrituras Sagradas.

Enquanto cristão e estudante da Bíblia, essa era minha visão. Ora, os homens não podem adivinhar as coisas que ainda irão ocorrer no futuro, apenas Deus tem esse poder. Dessa forma, a Bíblia só pode ter sido inspirada por Deus.

Analisando mais claramente algumas dessas profecias, observei que elas eram interpretadas erroneamente. Algumas profecias são mal traduzidas para nossa língua, outras são acréscimos posteriores pelos escritores bíblicos. Como exemplo, veja os dois artigos abaixo:

Cf. Naum 2:4 Profetiza o Automobilismo?
Cf. Isaías 44:28 Menciona Ciro Proticamente?

Mas, ainda há outro tipo do que as pessoas acham ser profecias genuínas. Algumas delas realmente foram escritas na época em que se declaram ter sido redigidas e também possuem uma boa tradução para o português. No entanto, serão mesmo genuínas?

As profecias chamadas de apocalípticas, de cunho escatológico, são um bom exemplo. Preste bem atenção nas palavras abaixo extraídas do livro de Apocalipse:


O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo. Ela abriu o poço do abismo e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o mar. (Apocalipse 9.1-2, SHEDD)

O que significam essas palavras? Qual é o cumprimento dessa profecia? Bem, em todos os séculos desde que a mesma foi escrita, inúmeros cristãos propuseram interpretações para essa e tantas outras profecias bíblicas. John Gill, erudito batista, especialista em cultura judaica, do século XVIII, comenta que essa estrela que cai do céu é o Anticristo e acredita que pode ser o Papa de sua época ou então Maomé. Outros interpretes, como F.F Bruce, acreditam que essa estrela é um anjo caído, ou Abadom, já outros acreditam que eram alguns imperadores romanos e assim por diante.

Suas interpretações levavam em consideração a situação mundial ou regional a qual viviam. Como a natureza da linguagem profética apocalíptica é altamente simbólica, então a verdade é que aquelas palavras de Apocalipse 9.1-2 podem significar qualquer coisa, inúmeras coisas e entenderemos essas palavras através da ótica e do meio no qual vivemos.

Algo parecido ocorre com as profecias de Nostradamus. Note as seguintes palavras do profeta na Quadra 91 da Centúria 2:

Ao nascer do sol um vai ver um grande incêndio,
ruído e luz estendendo para Aquilon:
Dentro do círculo e uma morte vai ouvir gritos,
o aço, o fogo, a fome, a morte os espera.”

O que significam essas palavras? Caro leitor(a), elas podem significar qualquer coisa, basta ter criatividade. Da mesma forma que as profecias bíblicas, as profecias de Nostradamus são altamente simbólicas, incluindo imagens de animais, astros celestes, plantas e assim por diante e, portanto, essas palavras podem ter uma infinidade de interpretações; qualquer pessoa pode olhar o cenário mundial e achar, caso tenha uma boa criatividade, um cumprimento para essa profecia.

Imagine que hoje eu proclame as seguintes palavras:

Era dia, e junto ao brilho do sol, vi um grande dragão que voava rápido como relâmpago. De longe era silencioso, mas de perto ensurdecedor. A cada instante, ele voava mais baixo, até que o mal lhe abateu em pleno voo, caindo sobre aqueles que na terra moram e o fogo consumiu suas muitas vidas.

Agora, imaginem que séculos depois ocorre um grande desastre aéreo,  onde várias pessoas morrem, um avião que cai numa área residencial. Bom, se alguém tivesse conhecimento dessa minha profecia e se eu tivesse escrito muitas outras, não seria de se admirar que as pessoas vissem nas minhas palavras acima um presságio, uma profecia autêntica.

Muitas coisas já ocorreram no passado, ocorrem no presente e continuaram ocorrendo no futuro. Na grande maioria das vezes, essas coisas se repetem, sejam elas terremotos, guerras, fome, pestilência e assim por diante. Profecias que evocam linguagem simbólica e dúbia não podem ser usadas como prova incontestável para provar a sobrenaturalidade da mesma.

As profecias apocalípticas da Bíblia, bem como as profecias de  Nostradamus não são profecias genuínas, pois são apenas palavras descrevendo várias imagens simbólicas que podem significar qualquer coisa. Isso pode ser visto claramente quando observamos que as inúmeras denominações cristãs têm entendimentos múltiplos, diversos e divergentes sobre o mesmos versículos, o que prova que as profecias do livro de Apocalipse não descrevem o futuro, descrevem apenas nossa visão do presente.

5 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Seria possível você analisar em um artigo o seguinte vídeo?

    http://www.youtube.com/watch?v=mDoXZh4ocmc


    Você conhece também Daniel 7 e 8 e a profecia das setenta semanas. Seria possível você escrever um artigo mostrando sua visão sobre todas essas profecias?

    Obrigado, um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amado, seja muito bem vindo ao blog.

      Eu já estava planejando fazer um artigo sobre isso. Vou assistir o vídeo e espero poder escrever algo a respeito. Acompanhe o blog para conferir as atualizações.

      Abraço.

      Excluir
    2. Olá Eduardo, obrigado. Estarei aguardando. Até mais.

      Excluir
  2. voce nao sabe nada da biblia ta mais pra filosofo kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *modo irônico ligado
      Pronto, Eduardo. O anônimo te deu uma surra argumentativa. Feche o site, peça desculpas e volte a ser cristão.
      *modo irônico desligado

      Leandro Paz

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site