segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Esse texto é parte de um estudo mais longo e complementar. Caso você tenha chegado nesse blog diretamente por essa postagem, queira ver o contexto desse estudo em A Ressurreição — Uma Doutrina Central
JESUS, RESSURREIÇÃO, TESTEMUNHAS, APÓSTOLOSDepois de comentarmos a importância doutrinária da Ressurreição de Jesus, como visto na postagem anterior, passaremos agora para a análise dos argumentos que nos levam a não aceitar o relato da Ressurreição como verdade histórica.

1§ Testemunho Tendencioso

O primeiro problema da credibilidade do testemunho da Ressurreição é que este, em si mesmo, é tendencioso. Mas em que sentido? O único testemunho que temos do suposto fato ocorrido é de cristãos, conforme narrado nos Evangelhos e nos escritos paulinos. Ora, um grande milagre ocorre, dois anjos descem dos céus, o Messias que arrastava multidões sai da tumba, passa quarenta dias ainda no meio dos seus discípulos, onde muitos podem ver e tocar e mesmo assim a única fonte testemunhal que temos é de cristãos?

Mulçumanos dão testemunho que favorecem o Islã, judeus que favorecem o Judaísmo e cristãos ao Cristianismo. Não vejo como apenas a palavra de cristãos seria o suficiente para determinar a factualidade de uma ocorrência.

2§ Testemunhas Oculares?

Conforme o Novo Testamento ensina, os apóstolos eram chamados de “testemunhas oculares” da ressurreição. (Lc 1:2; 1 Pd. 2.12; 2 Pd. 1.16) Apesar disso, a verdade é que eles não foram testemunhas da ressurreição em si, assim como uma pessoa hoje é considerada testemunha ocular de um assassinato. (Mt. cap. 28.1-10; Mc. 16.1-8; Lc. 24.1; Jo 20.1-10) De acordo com a própria declaração cristã, junto aos textos do NT, os apóstolos eram apenas testemunhas de que tinham visto Jesus vivo de novo. (Mt. 24.23, At. 1.3) Eles não testemunharam a Ressurreição, eles apenas teriam visto o resultado da Ressurreição, que era Jesus vivo de novo.

Por que consideramos isso um problema? Bem, dizer que você viu um cadáver no chão não significa, obviamente, que você é uma testemunha ocular de um assassinato. Da mesma forma, se alguém viu supostamente Jesus vivo, depois da crucificação, isso não quer dizer, necessariamente, que essa pessoa é testemunha ocular de uma ressurreição.

Se você observa apenas um resultado, o máximo que você pode fazer é conjecturar os fatores que levaram à este, através do que chamo de cronologia reversa. Algo ocorre (resultado); agora você regressa mentalmente no tempo tentando entender o que levou ao mesmo.

Esse é o caso da Ressurreição. Um grupo de homens há dois mil anos atrás juraram “de pé junto” que Jesus não estava mais morto, antes, havia ressuscitado dentre os mortos. Não que eles tivessem visto literalmente Jesus ressuscitando, mas que viram ele vivo de novo e assim CONCLUÍRAM que ele havia ressuscitado. Percebe como agora as coisas tomam outro rumo?

Esse ponto é bastante importante: Os apóstolos não foram testemunhas da Ressurreição; a Ressurreição em si era a CONCLUSÃO que eles chegaram para explicar aquilo que eles achavam ser Jesus vivo. Nesse sentido, veja o problema de se confiar numa dedução com base em um resultado dúbio.

Eu te mostro a seguinte formula: ? + ? = 4. Agora peço que você, levando em consideração o resultado, diga provavelmente qual foram os dois números, ou fatores, que, somados, levaram ao número 4. Em 90% dos casos, as pessoas dizem: 2+2.

Está errado? Não, obvio que não. No entanto, escapa-lhes o fato que poderia muito bem ser 3+1, cujo resultado também é 4. Dessa forma, ninguém pode afirmar com absoluta certeza se os fatores são 3+1 ou 2+2, pois ambos levam ao mesmo número. Com isso, tenha em mente que ter apenas o resultado não nos dá 100% de certeza dos fatores que o criaram.

Aplicando isso ao relato da Ressurreição, sabemos que tudo que os apóstolos tinham está resumido aos avistamentos do que eles interpretaram como sendo o Jesus Ressuscitado. Nenhum dos apóstolos, ou qualquer outro, estava presente quando o suposto milagre ocorreu. Dessa forma, a única coisa que eles podiam fazer quando expostos ao resultado é fazer um regresso psico-cronológico para achar uma explicação para aquele resultado.

? + ? = Jesus Vivo.
A conclusão foi: Cadáver + Ressurreição = Jesus Vivo.


Como dito acima, a única ferramenta que a pessoa tem para entender o resultado é a conjectura. Mas, como visto no exemplo numérico, outros fatores poderiam ter ocorrido que findasse no mesmo resultado. Para termos o resultado de um Jesus vivo poderíamos também ter os seguintes fatores:

? + ? = Jesus Vivo.
A conclusão poderia também ser: Inconsciência + Revitalização = Jesus Vivo.
A conclusão poderia também ser: Morte + Irmão Gêmeo = Jesus Vivo.


Existem dezenas de teorias bem elaboradas para a ressurreição de Jesus, como forma de explicar as aparições. Conforme exemplificado, alguns acham que Jesus sobreviveu a crucificação, ou que tinha um irmão gêmeo, e isso ad infinitum. Embora eu não abrace NENHUMA dessas explicações, creio que há diversas formas possíveis de termos o resultado de um Jesus Vivo. Assim, o fato de termos textos primitivos cristãos afirmando que algumas pessoas viram Jesus vivo de novo e que, com base nisso, concluíram que ele ressuscitou dos mortos, não tem qualquer credibilidade.

Agora, voltando ao exemplo com os números, imagine que não conseguimos decifrar, por quaisquer motivos que sejam, a grafia de determinado número (resultado), um 6 que ficou parecendo um 5, um 3 que ficou parecendo um 8. [?+?= 6(5?) e ?+?= 3(8?)]. O caso, então, acaba de ficar bem pior. Se nossa mente não tiver a mínima condição de determinar a natureza do número, seu valor numérico, dificilmente conseguiremos determinar os fatores que levaram ao seu resultado.

Acredito que esse também é o caso do Jesus que eles supostamente viram vivo. No artigo Mitos, Lendas e o Fenômeno “Eu-vi” comentei que muitos mitos são criados com base na má interpretação que as pessoas têm de avistamentos; elas veem coisas que, por não terem condições de interpretar corretamente, terminam por criar crenças deturpadas. — Cf. Pélope e o Mistério da Ressurreição.

Quantas pessoas veem cometas, aviões, planetas e pensam ter visto discos voadores? Talvez seja surpresa para alguns, mas é bem conhecido entre os ufólogos que cerca de 90% dos avistamentos de UFOs são má interpretação dos observadores (CUFON.org). Além disso, há pessoas que veem um urso na mata e dizem ter visto o pé-grande, ou lobisomem. Como no caso dos números, se a pessoa não conseguir decifrar o resultado, dificilmente ela chegará aos fatores corretos.

Em parte alguma do Novo Testamento os apóstolo alegam ter visto o ato da Ressurreição. O testemunho deles é de terem visto Jesus vivo de novo. Na maior parte dos avistamentos, os apóstolos não conseguem nem mesmo reconhecer que é Jesus. (Lc. 24.16) Por esse motivo, a conclusão com base nos avistamentos, de que ocorreu uma Ressurreição dos mortos no caso de Jesus de Nazaré, não é um testemunho de credibilidade.

Continuação: A Ressurreição — Contradições e Inconsistências

13 comentários:

  1. Se tivesse acontecido com você o que aconteceu aos discípulos , que conclusão teria ?

    Se os discípulos conhecessem as escrituras teriam esperado os 3 dias e 3 noites sem sepultar o corpo pra ver o que aconteceria , kkkkkkkk !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificilmente, porque eu vivo 2 mil anos DEPOIS disso, tenho acesso a informações no séculos XXI que aqueles pescadores do século I não tinham.

      Eles teriam enterrado Jesus, assim como fizeram, porque na Palestina do século I não havia qualquer doutrina de um Messias que morreria e seria ressuscitado. (EHRMAN, 2011)

      Nos próprios textos do NT vemos Jesus falando que morreria e levantaria novamente e essa informação sempre é seguida pela declaração de que os seus discípulos não compreendiam o significado de suas palavras.(BBO) A compreensão da Ressurreição de Jesus só veio post resurrectionem. (João 2.22)

      Dessa forma, eles fizeram aquilo que deveriam ter feito, enterrado o corpo de Jesus, pois eles não esperavam teologicamente nenhuma ressurreição do messias, exceto a Ressurreição futura de todos os mortos. (Jo. 11.24) Outra prova disso é que eles ficaram desapontados quando Jesus foi crucificado, pois a doutrina central da época era que "o Messias permaneceria para sempre". (Jo. 12.34) Assim, seria totalmente desnatural e antilógico eles ficarem olhando para o corpo sem vida de Jesus esperando uma ressurreição, visto eles não terem esse entendimento teológico.

      Portanto, independente da sua motivação ao escrever esse comentário acima, seja ridicularizar minha postagem, seja apenas "brincar" de forma inocente, sua sugestão não tem respaldo nem lógico, nem escriturístico!

      Excluir
    2. Foi só brincadeira irmão , apenas explicitei dessa forma para salientar que desde quase sempre a humanidade não possuíra o conhecimento exato da verdade , hoje em dia sei tanto mais do que sabia á dez anos atrás , mas noto que nada sei , sou leitor do seu blogue e admiro a sua trajetória , como a de muitos outros estudantes , mas ainda aguardo em Jeová , e jogo o meu fardo sobre Ele , amo á Ele de todo o meu coração , alma e mente e ao próximo como á mim mesmo , quanto á interpretações das coisas sagradas não posso mais confiar nos homens , pois todos são considerados mentirosos , mas neste solo pedregoso é aonde pretendo cavar , a procura de ouro que não seja ouro de tolo , sei que não vou longe sozinho , só com a ajuda de Jeová poderei conhecer a verdade sobre a Verdade (Jesus), mas me desculpe o meu entendido é que eu estava descontraído .

      Mas bem que poderia fazer um quadro mental de se estar naquela época com suposto entendimento e doutrina que atesta que havia e dizer pra si mesmo , omo encararia a questão ou não ?
      Sua opinião Deísta sincera. Me desculpe a insistência.

      Amigo Eduardo , poderia dar sua opinião sobre os textos sumérios , se não for incomodar-lhe muito !

      Excluir
    3. Não tem o que desculpar amado, está tudo na paz; é que recebo muitos comentários de cristãos fanáticos, então fica difícil de distinguir os comentários.

      Fico feliz de saber que você é meu leitor. Sobre os textos sumérios, eu pretendo falar disso em postagens futuras e não seria justo separar apenas um comentário, visto que a ideia é bem interessante.

      Os sumérios são de suma importância para entender o mito bíblico, porque deles temos as primeiras formas escritas, cujos mitos influenciaram fortemente a Bíblia.

      Excluir
  2. Os apóstolos não foram testemunhas oculares?
    Os romanos não saberiam que um “homem” morreu crucificado? Mesmo após dar uma espadada no lado desse “homem”?
    As mulheres que prepararam o corpo desse homem não saberiam que estava morto?
    Será que seus discípulos não presenciaram a preparação do seu corpo, ou o enterro?
    Será que ESSES MESMOS HOMENS não o viram vivo, o que seria uma “re-vida” ou ressurreição?
    Se isso não é ser a testemunha da ressurreição, não sei o que é?
    Teve um caso onde o pai que jogou o filho e a mulher pela janela, mas a única testemunha era o porteiro. Ele não viu o homem jogar a família pela janela, mas viu o homem saindo segundos depois. Então vamos liberar esse preso da prisão, já que a TESTEMUNHA NÃO O VIU JOGAR “LITERALMENTE” A FAMÍLIA PELA JANELA.
    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse:

      Os apóstolos não foram testemunhas oculares? Os romanos não saberiam que um “homem” morreu crucificado? Mesmo após dar uma espadada no lado desse “homem”? As mulheres que prepararam o corpo desse homem não saberiam que estava morto? Será que seus discípulos não presenciaram a preparação do seu corpo, ou o enterro? Será que ESSES MESMOS HOMENS não o viram vivo, o que seria uma “re-vida” ou ressurreição?

      Te digo:

      Todas as perguntas acima, no máximo, provam que estas pessoas foram testemunhas da morte e do sepultamento de Jesus. Acho que relendo minha explicação na postagem fica mais do que claro que nenhum deles viu literalmente o ato da ressurreição. Por exemplo, em Mar. 5:21-43 podemos ver que, segundo se crê, várias pessoas foram testemunhas oculares da ressurreição da menina, viram ela ressuscitar bem diante de seus olhos, mas o mesmo não pode ser dito de Jesus.

      Na postagem, está mais do que explicado que a Ressurreição foi apenas UMA EXPLICAÇÃO para as aparições de Jesus. Em postagens futuras, vou tentar explicar melhor isso.

      Depois você disse:

      Teve um caso onde o pai que jogou o filho e a mulher pela janela, mas a única testemunha era o porteiro. Ele não viu o homem jogar a família pela janela, mas viu o homem saindo segundos depois. Então vamos liberar esse preso da prisão, já que a TESTEMUNHA NÃO O VIU JOGAR “LITERALMENTE” A FAMÍLIA PELA JANELA.

      Te digo:

      Sinceramente, do fundo do coração, eu não consigo entender sua lógica e deixo esse comentário para que todos os nossos leitores possam refletir na defesa que os cristãos fazem.

      O exemplo que você deu foi muito vago; com certeza tiveram outros fatores no tribunal que levaram esse homem a ser preso. Portanto, essas outras coisas, junto com o fato de ter uma testemunha, embora não ocular, é que levaram a pessoa a ser presa.

      Ninguém é preso por simplesmente ser visto em determinado lugar, ou por uma mera acusação de um porteiro.

      O fato dos discípulos não terem sido testemunhas oculares não é o que nega a realidade e historicidade da Ressurreição. Jesus poderia muito bem ter ressuscitado dos mortos e não haver uma testemunha ocular no sentido abordado na postagem.

      A negação da historicidade da Ressurreição, bem como no caso do crime que você citou, vem com base em MUITOS OUTROS FATORES que, AGREGADOS À ESTES, se somam em uma conclusão irrefutável.

      Na minha postagem fiz questão de dar ênfase no fato de que eles não viram o milagre da Ressurreição, mas apenas interpretaram os avistamentos, porque isso está em harmonia com uma teoria racional do nascimento do Cristianismo, coisa que irei abordar posteriormente.

      Excluir
  3. Palavras suas: "Sinceramente, do fundo do coração, eu não consigo entender sua lógica"
    Vou explicar nos mínimos detalhes para você entender.
    Da mesma forma que é testemunha o porteiro que "NÃO VIU LITERALMENTE" o pai jogar esposa e filho pela janela; os apóstolos são testemunhas da ressurreição de Jesus, mesmo não o "VENDO LITERALMENTE" ressuscitar.
    O “Testemunho da ressurreição” aqui é da "SITUAÇÃO GERAL” E “NÃO SÓ DO FATO LITERAL E SEPARADAMENTE" (Que ocorreu num piscar de olhos?? ), ASSIM COMO NO CASO DO PORTEIRO.
    Onde você leu que para ser testemunha alguém tem que “VER LITERALMENTE TODOS OS minutos, segundos, MILÉSIMOS e MILIONÉSIMOS DE SEGUNDOS DO FATO”. Foi no dicionário da sua faculdade? Processe-a!
    Analogia: Meu tio sacou a arma; nesse momento, “ABAIXEI” a cabeça. Ouvi um tiro. TÁ! 1seg depois, levanto a cabeça e vejo minha tia morta e o meu tio recolhendo a arma. Eu não sou testemunha do assassinato? CLARO QUE SOU! Sou testemunha sem dúvida. Não vi 1seg do fato, mas SOU sim TESTEMUNHA DO ASSASSINATO DA MINHA TIA; que, para um bom entendedor, é insignificante se analisarmos o fato completo. Só por que não vi a bala saindo do cano da arma perfurando o corpo (nem se tivesse olhando, veria) quer dizer que não sou testemunha do assassinato? Há, peraí, oh!
    Conclusão: Não ter visto a RESSURREIÇÃO LITARALMENTE (ocorreu em 24h, 1h, 1min, 1 seg, um piscar de olhos...?) não é razão para dizer que os apóstolos não são “TESTEMUNHAS DA RESSURREIÇÃO”.
    Espero que agora tenha entendido!
    Aliás, não estou dizendo que acredito ou não. Estou dizendo que seu argumento não é correto.
    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou ser bem simples. Leia o título da postagem:

      Testemunhas Oculares da Ressurreição?

      Você nem ao menos presta atenção no texto e nem consegue distinguir e diferenciar a significação dos vocábulos. Você sabe o que significa OCULAR? O Dicionário Priberam define:

      2. Que assiste ou presencia (ex.: testemunha ocular).

      Os apóstolos assistiram e presenciaram o milagre da Ressurreição?

      Somando à isso:

      O dicionário Jurídico no Ebah diz:

      Testemunha Ocular - A que presenciou um fato.

      Tendo isso em mente. Os apóstolos 'presenciaram' a Ressurreição de Jesus?

      Eles podiam ser testemunhas da mensagem cristã, até testemunhas da Ressurreição, mas não testemunhas OCULARES, como a Bíblia afirma, porque eles não viram o milagre da Ressurreição.

      Nem todo mundo teria a paciência de lhe responder como eu estou tendo.

      Excluir
  4. Você me diz: “Você nem ao menos presta atenção no texto e nem consegue distinguir e diferenciar a significação dos vocábulos. Você sabe o que significa OCULAR?”
    Respondo: "Testemunha ocular" = redundância (descer para baixo). Para ser testemunha É INERENTE olhar. "Eu prestei atenção", por isso omiti “OCULAR”, para não ser redundante.

    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero saber se existe nesse universo alguma outra criatura que tenha paciência de conversar contigo.

      SÓ NO SEU MUNDO TESTEMUNHA E TESTEMUNHA OCULAR É A MESMA COISA!!!

      Todos os dicionários, sejam eles da língua Portuguesa, sejam da área jurídica dizem que existe uma diferença entre testemunha e testemunha OCULAR.

      Ex.: Ouço dois homens discutindo. Em seguinda, ouço um tiro. Correndo em direçào do barulho, vejo uma pessoa baleada e morta no chão. Sou testemunha de um assassinato. Meu testemunho é limitado para identificar o criminoso, pois não VI (ocular) o assassino, vi apenas o resultado.

      Ex.: Ouço dois homens discutindo. Vou em direção das vozes e vejo um homem atirando e matando outro que caiu no chão. Nesse caso, sou testemunha ocular do assassinato.

      Qualquer pessoa, com o mínimo de conhecimento jurídico, sabe que existe no Direito Penal a diferença entre testemunha e testemunha ocular.

      Volta pra escola Clóvis, a leitura da Bíblia te deixou obtuso.

      Se você escrever algo a mais nessa postagem vou deletar. Meu tempo é muito preciso pra ficar tentando explicar a um adulto que a soma 2+2 NÃO É 5.

      SE TU POSTAR ALGO AQUI VOU DELETAR.

      Excluir
  5. Irmão Eduardo, se o irmão tornar-se TDS não haverá quem o contradiga . . .

    Estejamos na santa paz. Brigas de palavras e 'diz quem me disse' não aproxima as pessoas. Estejamos no amor dos nossos Criadores santos e seremos fortes espiritualmente.

    Apóstolo TDS

    ResponderExcluir
  6. Olá Eduardo , tudo beleza ?
    Sei que és versado nas faculdades teológicas , podes me dares sua opinião sobre o livro de Jasher ?

    Silvio The Freitas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja bem vindo... desculpa a demora para te responder. Bom, acho que o que eu tenho a dizer é o mesmo que podes encontrar pelo Google.

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site