quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Se você chegou nesse blog direto por essa postagem, queira ver o contexto deste estudo, começando com: “Virgem” ou “Jovem”: Um estudo de Isaías 7:14



Um argumento muito usado pelos cristãos para defender a profecia do nascimento virginal é que a Septuaginta[1] traduziu a palavra עלמה (hebr.: ‘almah) por παρθενος [Gr.: parthenos] que significa literalmente “virgem”. Assim, eles dizem que, uma vez que os judeus tradutores da LXX traduziram o vocábulo hebraico pela palavra grega oficial para “virgem”, então era porque a mesma era vista assim, essa era a ideia de Isaías ao escrever a profecia.

O site apologético cristão Carm.org comenta:


Isaías 7:14 diz que uma virgem dará à luz um filho. O problema é lidar com a palavra hebraica para virgem, que é “almah.” De acordo com a Concordância de Strong, significa, “virgem, jovem mulher 1a) com idade para casar 1b) escrava ou recém-casada.” Portanto, a palavra “almah” nem sempre significa virgem. A palavra ocorre em outras partes do Antigo Testamento apenas em Gênesis 24:43 (“donzela”); Êxodo 02:08 (“menina”), Salmo 68:25 ("donzelas"); Provérbios 30:19 ("donzela"); Cântico dos Cânticos 1:3 (“donzelas”); 06:08 (“virgens”)". Além disso, há uma palavra hebraica para virgem: bethulah. Se Isaías 7:14 devesse dizer virgem, em vez de jovem donzela, então por que não foi a palavra usada aqui?

A LXX é uma tradução das escrituras hebraicas para o grego. Esta tradução foi feita por volta de 200 aC por 70 eruditos hebraicos. Em Isaías 7:14, eles traduziram a palavra “almah” pela palavra grega “parthenos”. De acordo com A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature, parthenos significa "virgem". Esta palavra é usada no Novo Testamento para a Virgem Maria (Mt 1:23, Lucas 1:27) e das dez virgens da parábola (Mateus 25:1, 7, 11). Se os hebreus traduziram a palavra hebraica “almah” para a palavra grega para virgem, então eles entenderam o que o texto hebraico queria dizer aqui.


Além do próprio site cristão reconhecer que עלמה (‘almah) “nem sempre significa virgem”, podemos argumentar 3 pontos contra a afirmação de que a LXX usa a palavra grega oficial para virgem: 

  1. A LXX foi traduzida por judeus, mas apenas o Pentateuco. O restante da Bíblia hebraica foi vertida posteriormente, e nem sabemos quem foram e qual o conhecimento que tinham do hebraico bíblico. O que sabemos hoje da Septuaginta é mais lenda do que fato histórico, isso pode ser confirmado em qualquer obra que trate sobre o tópico.
  2. Na introdução da tradução da Septuaginta para o inglês assim consta: “O Pentateuco (traduzido pelos 70 rabinos) parece ser o texto melhor executado enquanto que Isaías é o pior traduzido”. Se a tradução grega de Isaías é a pior, na opinião dos especialistas, então não podemos confiar na tradução da palavra parthenos de bethulah.
  3. Na própria Septuaginta, na tradução dos cinco livros de Moises, realizada pelos rabinos, exatamente em Gênesis 34:2-3 a palavra “parthenos” foi traduzida pelos sábios como uma referência a não-virgens, a uma “jovem mulher” que tinha sido estuprada. Isso mostra que, ao contrário do que dizem, os antigos judeus helênicos entendiam que παρθενος, mesma palavra de Isaías 7:14, como se referindo a uma mulher não mais virgem, desde que fosse jovem. Usamos um exemplo da Septuaginta no livro de Gênesis, sendo este parte do Pentateuco, é certeza ter sido traduzido verdadeiramente pelos judeus no período alexandrino.

E se isso ainda não fosse o suficiente, poderemos consultar obras de lexicografia de grego e hebraico para termos mais insights sobre essas palavras. Interessante que até mesmo obras de lexicografia editadas por cristãos comentam que não tem como se confiar 100% em Isaías 7:14 na LXX como significando “virgem”.

Joseph Henry Thayer, especialista do grego do NT, comenta sobre a palavra παρθενος:

1. Uma virgem: Mat. 1:23 (de Isa. 7:14); 25:1,7,11; Lucas 1:27; Atos 21:9; 1 Cor. 7:25,28,33(34) (de Homero em diante; a Septuaginta principalmente por בּתוּלה, várias vezes por נערה; duas vezes por עלמה ; i. e. tanto de uma donzela com idade para se casar, ou uma jovem mulher (casada), Gen 24:43; Isa. 7:14, no qual a (última) palavra cf., além disso Gesenius, Thesaurus, p. 1037, Credner, Beiträge como acima com ii., p. 197ff; {...} de uma noiva jovem, uma mulher recém casada, Homero, Ilíade 2, 514) (Greek-English Lexicon of the New Testament, ed. eletrônica)

O Greek-English Lexicon of the New Testament Based on Semantic Domains comenta algo muito interessante sobre a palavra “virgem” usada em Isaías 7:14 na Septuaginta:

{...} uma pessoa do sexo feminino depois da puberdade, mas que ainda não se casou e uma virgem (embora em alguns contextos a virgindade não seja um componente focal de significado) {...} Na obtenção de um termo satisfatório para “virgem”, muitas vezes há uma série de dificuldades. Por exemplo, um termo que designa uma virgem pode também implicar a participação em um conjunto específico de rituais ou práticas de culto constituído por ritos da puberdade, em que um ritual com relação sexual é um elemento integral. Em algumas linguagens de um termo que significa tecnicamente “virgem” também é empregado com conotações inaceitável na medida em que pode sugerir que a mulher em questão tem uma personalidade estranha ou aparência pouco atraente e, portanto, é ser sexualmente evitada. Em alguns casos, um termo que em alguns contextos pode ser equivalente a “virgem” também pode se referir a uma mulher homossexual que não teve relações com um homem, mas que se envolve em relações sexuais com mulheres.

O que observamos é que mesmo os dicionário e léxicos cristãos confirmam que as palavras tanto em grego (LXX) como em hebraico (Tanakh) não se referem diretamente à uma virgem. Além disso, as palavras nos originais grego e hebraico são muito ambíguas, nos possibilitando apenas uma aproximação. Agora, imagine que Deus fosse inspirar algo tão importante para a humanidade, não poderia, sendo Ele Todo-Poderoso, formular uma língua, frase, etc, que deixasse certo, além de qualquer dúvida, o significado da Sua Palavra? O que observamos ao redor do mundo, entre judeus e cristãos, judeus e mulçumanos, mulçumanos e cristãos, é uma luta interminável para entender palavras e textos escritos há milênios atrás em línguas extremamente difíceis de entender. Só nisso vemos que há algo de errado. 

Continuação desse estudo: Cf. Profecia de Isaías 7:14 — Fundo Histórico
____________
NOTAS

[1] A Septuaginta, também conhecida apenas por LXX, é a primeira tradução do Antigo Testamento que se tem notícia. Cerca de 70 judeus participaram da tradução, vertendo o texto do hebraico para o grego, o mesmo grego usado no Novo Testamento. Por esse motivo, é muito usado nos estudos bíblicos, uma vez que os próprios escritos do NT faziam uso da LXX para fazer referências.

18 comentários:

  1. Portanto, a palavra “almah” nem sempre significa virgem. A palavra ocorre em outras partes do Antigo Testamento apenas em Gênesis 24:43 (“donzela”); Êxodo 02:08 (“menina”), Salmo 68:25 ("donzelas"); Provérbios 30:19 ("donzela"); Cântico dos Cânticos 1:3 (“donzelas”); 06:08 (“virgens”)"...NA REALIDADE A INTENÇÃO MASSORÉTICA ERA ESSA MESMO:O PROFETA QUERIA TRAZER PRA DESFRUTE UMA"VIRGINDADE AMPLIADA" C/ TODOS OS ADJETIVOS QUE LHE CONVÉM PARA GERAR O MESSIAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não ficou bem claro sua opinião caro anônimo. Alguns cristãos argumentam que "almah" não significa apenas virgem, mas outras coisas, pois o profeta queria usar uma palavra bem ampla para dar plenitude à virgindade de Maria. Se essa for sua opinião, pelo que parece, a respeito de coração, mas ela está equivocada.

      Se você for pela semântica, haverá uma infinidade de possibilidades para qualquer coisa na Bíblia e nunca uma resposta única. Leia 2 Coríntios 2:2. Nesse texto, Paulo usa a frase "deus desta Era" [gr.: ho theós; lat.: déus; hebr.: ’elohéh]. O apóstolo Paulo usou a palavra theos, que é usada para o Criador e Senhor, aplicando-a ao diabo. A distinção vem com o complemente "desta Era" [Gr.: aiónos; lat.: saéculi; hebr.: ha‛ohlám, “da ordem de coisas”]. Esse complemente desnuda a palavra theos de seu sentido costumeiro, que é DEUS, O CRIADOR, e aponta apenas para uma deidade inferior, corrupta e maligna, tal como a Era em que Paulo vivia.

      Da mesma forma, almah pode ter ou NÃO o sentido de "virgem", "pura" e "imaculada", vai depender dos complementos. Quando os escritores usam "almah" com o sentido nítido de virgindade, normalmente eles conectam complementos que indicam isso, o que não ocorre em Isaías 7:14, ou então usam a palavra padrão para virgem, bethulah, que não foi usada no texto em questão.

      Se você fosse um profeta e soubesse que no seu idioma existem duas palavras (almah e bethulah), uma significa literalmente "virgem" e a outra "moça", a segunda apenas IMPLICANDO virgindade, dependendo do contexto, você usaria a primeira (bethulah), para dar certeza aos seus leitores do que você quer dizer.

      Se, como você disse, o profeta usou "almah" porque queria reunir todos os adjetivos dessa palavra para descrever a mulher que daria a luz ao Messias, então temos uma contradição, pois, como mostrado em toda a postagem, "almah" também é usado para "não-virgens" que são jovens, "não-virgem" está reunida no conjunto de adjetivos de "almah" para qualificar a mãe do Messias?

      Excluir
  2. Você diz: “Se tu postar eu vou apagar”. Mas antes dá uma lida!

    Virgem???
    Sua argumentação se divide em:
    1° caso: Má interpretação, pelos cristãos, de Joel 1.8; Deut. 22.19; Ester 2.17-19.
    2° caso: A opinião dos judeus: “Para os judeus, não existe no AT nenhuma profecia com essa ideia [virgindade]”
    3° caso: LXX 200anos aC

    Desculpe-me, mas concordo em parte:
    [1° caso] Realmente os cristãos “veem” o que “querem ver” nesses versículos.
    [2° caso] Mas também os judeus “não veem” o que “não querem ver”.
    Assim, da mesma forma que o cristão puxa a sardinha para seu lado; o judeu puxa, para o seu. Ambos são parciais, o que não serve como referência de verdade.

    Resta-nos, então, o 3° caso.
    [3° caso] Os 70 judeus não sofreram a influência cristã EM NADA, nadinha; mas seguiram o entendimento das palavras da época; assim o ponto de vista imparcial deles é a base cristã, de Lucas e Mateus.

    Perdoa meu atrevimento, mas não vejo esse erro na referência a Is 7.14; já que não foram os cristãos que traduziram Is 7.14 como “virgem”. Assim, não é má interpretação, no meu pequeno ponto de vista; mas seria má tradução, se fosse o caso.

    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprovei esse comentário pois de todos os seus argumentos é o primeiro passível de debate.

      Preste atenção no argumento:

      Os especialistas na Septuaginta consideram o livro de Isaías a pior tradução do texto hebraico.

      Mesmo especialistas cristãos do grego do Novo Testamento, como Joseph Henry Thayer, comentam que a palavra grega parthenos também é usada para não virgens.

      Não foram os cristãos que traduziram a LXX, não obstante, de todas as cópias que temos da LXX hoje, todas elas foram cópias feitas por cristãos. Dessa forma, não existe qualquer cópia da LXX feita por Judeus do livro de Isaias.

      Excluir
  3. Sobre almah + parthenos, você disse:“... Os especialistas na Septuaginta consideram o livro de Isaías a pior tradução do texto hebraico...”
    Sobre Isaías 40.22, você disse: “... antigos tradutores judeus [LLX], que conheciam o hebraico bíblico melhor do que qualquer erudito hoje moderno...”
    Quando lhe convém são ruins; e também, quando lhe convém, são bons???
    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. São ruins por que os especialistas dizem que sãp ruins. São ruins porque mesmo quando eu era cristão fundamentalista como você, eu já sabia e aceitava que era a pior tradução do texto hebraico, então, diferente do que você está dizendo, eu não escolho as informações de forma tendenciosa, eu não coloco aqui apenas o que me convém.

      No dia que for apresentada uma evidência incontestável da veracidade do Cristianismo, serei o primeiro a publicar isso aqui, deletar esse blog e voltar a crer nisso, até lá, mostrarei o que me levou a abandonar essa utopia chamada Cristianismo.

      Eu não importo-me se você acredita numa lenda ou não, pra mim tanto faz. Nunca criei esse blog querendo acabar com sua fé. Passei a escrever aqui as coisas que me fizeram desacreditar. Portanto, nada tem a ver com você ou qualquer outro crente irritante. Adiantaria me enganar? adiantaria dizer que é a pior tradução se eu soubesse que não era? eu iria dizer tudo isso só para acabar com a fé das pessoa? Tenho mais o que fazer.

      Mencionei dicionários das línguas originais, publicados até mesmo por cristãos, que concordam com o que eu coloquei na postagem... vai ver que esses cristãos são mais sinceros e honestos do que você.

      Cara eu nunca vi alguém como você! A gente, de fato, nunca deixa de ver algo novo. Você continua descaradamente comentando em postagens que eu já encerrei o assunto.

      Então, entenda isso: EU VOU DELETAR, SEM LER... você não tem argumentos, você apenas insiste em um assunto encerrado usando essas comparações irritantes, desconexas ue só fazem sentido na sua cabeça.

      Quanto mais você insiste em algumas postagens, mais eu vejo quão doentia é sua fé. Assim que tiver tempo, farei uma postagem inteira e dedicarei ao crente mais irritante que já tive o desprazer de conhecer, Clóvis, Cariacica, ES.

      Excluir
  4. Sábio pra si mesmo, já estudaste os textos do mar morto? Eles favoressem tanto os textos da LXX quanto da Massorá, e o que dizer disso? Acaso um professor comum te dá todas as respostas "mastigadas"? Antes ele não te coloca pra pensar, "puxar pelo raciocínio"? Quem souber os segredos de Deus será Deus. Agora tu queres "pagar" de intelectual. Sobre esses especialistas, tu procuras saber a biografia deles? Quantas fontes e quantos especialistas tu consultas? Ou adotas somente o que favorece tua opinião? És papagaio deles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que primeiro já pode parar de falar no presente do indicativo (“s”), talvez se sinta como um profeta bíblico ou um Paulo da vida pregando no Areópago falando desse jeito. Acorde, você está no século XXI. Coloca essa linguagem bíblica arcaica de lado e pode falar normal.

      Segundo, eu tenho uma biblioteca de mais de mil livros físicos e uma digital com mais de 50 mil livros, chamada Logos Bible Software, então sei exatamente a bibliografia que uso. Inclusive traduzo para meus leitores. Tu “falas” outro idioma além desse português brechó? Se a resposta for afirmativa te passo qualquer referência que você quiser.

      Terceiro, você não contra-argumentou nada do que escrevi. Mencionou os Rolos do Mar Morto como se fosse a coisa nova do mundo. Sei que você nunca sequer leu os rolos, nem sequer os olhou como mero curioso leigo, mas já que “tocastes” no assunto, me mostra como isso esclarece alguma coisa no significado da palavra hebraica e grega.

      Por último, como você pode me chamar de papagaio se é justamente você que repete de cor versículos bíblicos, aceitando e repassando tu que lê ali? Se eu sou um papagaio, então você é um coral de araras.

      Excluir
  5. nao importa o que fizeram depois de isaias, quem como ou quando fez. isso apenas gera mais polemica. o que importa mesmo eh o q ele escreveu. ele tinha almah e betulah. se quisesse realmente a virgem seria betulah. ponto. isso eh simples e claro. se almah tambem
    pode ser virgem aqui tambem nao eh. ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pontuação ajudaria muito, ficou confusa a leitura.

      Excluir
  6. Como podem dois eventos com probabilidade menor que 1 em um milhão acontecer durante a oração de uma pastora somente porque ela disse que "Deus" mandou ela dizer que iria acontecer. Isto no período de uma oração de 11 minutos. Descarte a possibilidade de interferência no processo. No way! Sou um estatístico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pergunta é: O que isto tem a ver com a Septuaginta? Misericórdia....

      Excluir
  7. Isto tem uma importância apenas, e unicamente por isto, porque não houve a ressuscitação alegada. Tivesse ocorrido, Jesus aparecido para as multidões, confrontado os lideres do Templo, enfrentado Poncio Pilatos, seus seguidores demonstrado os 9 dons do Espírito Santo: palavra de Sabedoria, palavra de Conhecimento (ciência), Fé, dom da Cura, Operações de Milagres, Profecia, Discernimento de espíritos, Variedade de Línguas e Interpretação de línguas. Na ausência do cumprimento das promessas, entre elas voltar a vida, só resta aos pregadores usarem subterfúgios para tentar provar o que jamais ocorreu. Que aquele que jamais foi visto novamente andando na Terra estava previstos em passagens sem relação com o alegado. Deus trocou o povo escolhido, a língua sagrada, a capital da sua casa na Terra. Nada do que foi prometido para o Messias judeu realizar.

    ResponderExcluir
  8. Se formos simplesmente utilizar a lógica do uso de uma palavra em detrimento de outra poderíamos dizer que a palavra Almah não poderia ser uma referência a uma jovem mulher, pois a palavra mais própria para designar mulheres jovens no hebraico é "Na'arah". Por várias vezes, (exceto as sete onde ocorre Almah), ocorre a expressão "Na'arah Bethulah", comumente traduzida por "moça virgem" nas escrituras. Talvez Isaías tenha preferido usar esta palavra porque sabia que ela designaria com precisão, uma jovem "ainda não casada, e VIRGEM". Ao contrário do que muitos pensam, a opinião principal sobre almah de estudiosos e rabinos, nem sempre concorda com o ceticismo. Muitos estudiosos judeus e cristãos sinceros procuram estudar a fundo, em busca de uma conclusão verdadeira, e não conceitos e opiniões pré-estabelecidas. Estes procuram saber a verdade, pois não é tão difícil de saber qual o significado de almah. O que comumente dizem a maioria dos rabinos judeus, e os eruditos no assunto, é que:
    "O termo hebraico almah não é a palavra mais apropriada para VIRGEM; o termo mais apropriado para virgem é Bethulah"...
    Isto é plenamente aceitável (porque "almah" só aparece sete vezes no A.T. enquanto "Bethulah" aparece 51 vezes), porém, não quer dizer que almah não se refira e não possa se referir a uma moça virgem.
    Com base na declaração acima, a mais comum dos rabinos, pergunto:
    - Isto significa que almah não se refere a uma virgem? De modo NENHUM! Isto significa que almah seria menos apropriado do que Bethulah, que é muito mais freqüente nas escrituras, mas mesmo sendo menos freqüente nas escrituras, almah se refere a uma virgem, segundo a própria declaração rabínica... Pouco nos interessa o número de ocorrência da palavra, e sim, de fato, o que ela significa; há palavras que usamos com pouca freqüência, mas isso NÃO ALTERA o seu significado. Agora, por que será que dizem isto? Porque, como estudiosos, sabem que se disserem que almah não significa virgem, não terão como provar isto, e estarão contrariando as escrituras, e a história... Eles estão declarando que almah seria menos apropriada do que bethulah, e não que almah não significa uma virgem. Nós cristãos, nunca negamos que a palavra bethulah significa virgem. O que importa, é que almah, de fato, pode significar uma VIRGEM. E isto, estudiosos judeus e cristãos não negam, pois não se pode negar.
    É comum vermos declarações céticas que "a palavra [almah] às vezes (mas nem sempre) pode significar uma virgem" – [este "às vezes" mostra que almah pode sim, significar uma virgem conforme os próprios céticos]. Não cabe aos céticos e tradutores modernos quererem determinar quando almah deve ser igual a virgem a seu bel prazer, pois ao contrário do que eles dizem, em todas as ocorrências dela, ela se refere a uma virgem, (como veremos).
    Nota-se também que, mesmo sem querer, às vezes, eles deixam escapar algumas "verdades", e que no fundo, ainda possuem o bom senso...
    Embora o objetivo da maioria com isto, é "desqualificar" a palavra almah, querem insinuar que Isaías deveria ter outra palavra mais comum (bethulah). Pena que não questionam as palavras que só Isaías usou em todo o A.T. Estas sim poderiam dizer que ele não deveria ter usado; [e ainda assim, por que não deveria?].

    ResponderExcluir
  9. O HUMOR E BOM SENSO DOS CÉTICOS: Certa vez, lí uma declaração que dizia:
    "Realmente, a palavra almah pode significar uma virgem, mas não em Isaías 7:14!"Isso não te faz pensar? PERGUNTEI-ME: porque só em Isaías 7:14 que não? Não é estranho que, para os céticos, almah possa significar VIRGEM em qualquer lugar, menos em Isaías 7:14 ? é comum ver os céticos dizerem que
    "O vocábulo original na bíblia hebraica é ha'almáh, significando 'a moça' ou 'a donzela', e não necessariamente 'virgem' (betullah, em hebraico)".
    • Resposta: a preposição ha' em nada altera o texto, apenas acompanha o substantivo, e significando "A virgem". O que importa, é se a tradução do texto pode ou não significar "A VIRGEM". Observem que, com esta declaração, estão deixando evidente que no fundo ADMITEM que almah TAMBÉM significa VIRGEM, ainda que conscientes disso prefiram traduzir apenas por jovem. Se até os céticos e judeus, no fundo, admitem que almah signifique virgem, por que nós cristãos não deveríamos admitir que almah não significa, de fato, uma virgem?
    Geralmente, as críticas do ceticismo são feitas às cegas e mal fundamentadas, com apelações pobres, descabidas e forçosas para confundir os incautos e menos informados. O fato de haver uma preposição não altera o significado da palavra; nós cristãos traduzimos isto fielmente quando traduzimos por 'A Virgem' [Eis que "A virgem" conceberá...] e não por 'UMA Virgem' conceberá; logo, não cometemos alteração alguma, como se pode notar.
    E a apelação é forçosa, porque ainda que desconsideremos por um pequeno instante que "almah também se refere a uma virgem" e consideremos por um instante, almah apenas como 'a moça' ou 'a donzela', como eles poderão provar que esta não seria uma virgem, se ela teria que ser uma moça solteira? Por acaso, uma moça solteira não seria virgem? Primeiro, a palavra 'donzela' se refere a uma jovem solteira e virgem, que nunca teve relações sexuais; e segundo, que uma moça que ainda não casara em Israel, só não seria virgem se fosse forçada ou estuprada. Pelo bom senso, sabemos que Deus jamais daria "um sinal" deste para o seu povo: não foi um estupro ou um ato sexual antes do casamento, que viola as leis sagradas, que Deus prometera dar como sinal para a casa de Daví; o Emanuel não seria um sinal tão vergonhoso como este.
    Portanto, cabe aos céticos do judaísmo refletirem mais sobre a questão.

    ResponderExcluir
  10. Como já disse a palavra hebraica "almah" pode significar tanto uma virgem como uma jovem solteira.
    Os estudiosos concordam que almah significa uma jovem mulher, em idade de casar-se; uma jovem solteira, ainda virgem, casta, pura, nunca tocada por homem algum. Este também é o significado da palavra "donzela": a palavra donzela se refere a uma "jovem virgem e solteira", embora antigamente esta palavra fosse aplicada apenas às moças nobres, não deixava de ser às virgens e solteiras. Por isso, é correto os judeus às vezes traduzirem almah por "donzela", já que 'donzela é uma moça virgem', embora façam isso com outra intenção.
    Estudiosos cristãos declaram que os judeus só começaram a usar a palavra almah para mulheres casadas após o século II da era cristã, depois que surgiram as novas versões da Septuaginta. Isto significa que, antes do século dois, antes do Cristianismo, tanto na época de Jesus, quanto na de Isaías, a palavra almah era usada apenas para mulheres que ainda não haviam casado. Segundo os estudiosos, um dos motivos que os levou a esta pequena mudança, foi "para tornar a profecia de Isaías 7:14 mais adaptável a Ezequias e a Maher-Shalal-Hash-Baz", com quem relacionaram,a partir de então,a profecia. Isto se tornou contraditório, pois como uma 'mulher já casada' poderia ser uma 'virgem'?
    Portanto, seguindo o sentido original da palavra almah, devemos considerar que numa correta interpretação da palavra almah, ela se refere apenas à mulheres "que ainda não casaram". Isto é um fato testemunhado pelas próprias escrituras, nas ocorrências desta palavra, como veremos adiante; e com isto concordam todos os exegetas, católicos ou protestantes. De acordo com o sentido original da palavra, isto dificulta que a profecia seja relacionada com qualquer outra pessoa além do Messias, cujo nascimento seria contrário à natureza.
    A partir desta definição, devemos corrigir alguns equívocos cometidos em relação ao significado da palavra almah:
    A palavra almah não se aplica a todo tipo de mulher; a palavra almah não se aplica à mulher casada; almah pode até se aplicar a uma mulher procurada para casamento, e a uma mulher comprometida para casamento ("desposada", uma espécie de noivado), pois se aplica a uma mulher em idade de casar-se.
    Seguindo a tradição das versões posteriores à Septuaginta, que traduziram Almah por Neanis, que significa "jovem mulher" – muitos afirmam que almah significa "Jovem Mulher" [e neste caso, aplicam o termo a qualquer mulher, casada ou solteira]. No caso de uma "jovem mulher", almah só poderia significar uma jovem mulher, EM IDADE DE CASAR-SE, mas não uma mulher jovem casada.
    Por último, precisamos fazer uma última observação:
    "Estão ERRADOS todos os que dizem que a palavra almah NÃO significa e NÃO se refere a uma virgem, - independente de quem quer que seja esta pessoa". Declarar que almah não pode se referir a uma virgem seria um grande erro, um grande equívoco da parte desta.
    Mas também estão errados os cristãos que dizem que almah não significa e não se refere a uma jovem solteira. Mais uma vez eu repito: almah pode significar tanto uma jovem virgem como uma jovem na idade de casar, porém ainda solteira.

    ResponderExcluir
  11. A palavra almah ocorre sete vezes no Antigo Testamento, e em todas elas é aplicada a uma jovem virgem e solteira. Em nenhum lugar a palavra almah é aplicada a uma mulher já casada:
    1ª) Gênesis 24:43 – "Eis que estou junto a fonte de água; seja pois a DONZELA (hebraico Almah) que sair para tirar água"...
    [Almeida Corrigida. A Versão Almeida Atualizada traduz almah por "moça", nesta passagem].
    2ª) Êxodo 2:8 – "E a filha de Faraó disse: Vai. E foi a MOÇA (Almah) e chamou a mãe do menino".
    3ª)Salmo 68:25 – "Os cantores iam adiante,os tocadores de instrumentos atrás, e entre eles, as DONZELAS (Almah) tocando adufes".4ª) Provérbios 30:19 – (18) Há três coisas que me maravilham,e a quarta não consigo entender:
    (19) o caminho da águia no céu, o caminho da cobra na penha, o caminho do navio no meio do mar, e o caminho de um homem com uma VIRGEM (Almah)".
    [ Almeida Corrigida. A Atualizada traz "donzela"].
    5ª) Cantares de Salomão 1:3 – "Suave é o aroma dos teus ungüentos, como ungüento derramado é o teu nome; por isso, as DONZELAS (hebraico Almah) te amam".6ª) Cantares de Salomão 6:8 – "Sessenta são as rainhas, e oitenta as concubinas, e as VIRGENS (Hebraico Almah) sem número".
    7ª) E por último, Isaías 7:14 – "Eis que a VIRGEM (hebraico Almah) conceberá, e dará à luz um filho, e ele será chamado Emanuel".

    Estas são as únicas passagens das escrituras onde a palavra almah ocorre. Observe que ela foi dita (usada) apenas por eruditos, que conheciam bem a sua língua e cultura: Moisés, Daví, o sábio Agur, Salomão e Isaías. Ninguém além deles usou esta palavra.
    Em todas estas passagens, a palavra almah poderia ser traduzida por "jovem virgem" ou "jovem solteira"; ou então, pela palavra "donzela", que descreve melhor uma jovem virgem e solteira.
    Observe também que em todas estas passagens, almah está sendo aplicada, se referindo e indicando uma jovem que ainda não casou, e virgem, que ainda não teve relações sexuais.
    Em cada ocorrência, almah está automaticamente descrevendo que a moça referida é virgem e solteira.
    Ainda que na Versão, ela esteja sendo traduzida por jovem, moça, donzela ou virgem, isto não altera o significado original da expressão almah: ela nunca estará se referindo a qualquer tipo de jovem ou moça; o que ocorre são apenas traduções diferentes, (pois a tradução terá que optar por uma destas palavras para traduzir o hebraico).
    Das sete ocorrências de almah no Antigo Testamento, apenas em duas passagens a Septuaginta grega traduziu almah literalmente como virgem, enfatizando o significado da palavra:
    A primeira, em Gênesis 24:43, onde a palavra é citada pela primeira vez; e a segunda,em Isaías 7:14. Em ambas, os judeus traduziram almah por "parthenos", que significa "virgem" no grego.
    Deve-se notar que a passagem de Isaías 7.14 não foi a única traduzida por "virgem" (no grego), logo não podem alegar que fora um erro de seus escritores. Em resumo, a palavra Almah é utilizada sempre para expressar a intrínseca correspondência jovem mulher-idade para casar-virgem. Há palavras judaicas para designar estes termos isoladamente, mas quando se quer fazer a correlação única da ideia, usa-se a palavra Almah.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O contra-argumento ao que você escreveu está no meu livro, são dezenas de páginas só sobre o que você disse acima. Se tiver interesse, basta ler e comentar aqui o que achou.

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site