segunda-feira, 27 de junho de 2011

Por Que os Animais Sofrem?
Em conversa com o Pipe, gostaria de dizer, em nome do blog e de Odailson, o autor desse texto, que o blog Descontradizendo Contradições criou uma resposta em cima da premissa de que a Bíblia é por completo verdade e inspirada por Deus e que, ao levar esse assunto para o tema secular, a resposta termina parecendo tola.

Visitando o blog Descontradizendo Contradições me deparei com o artigo “Porque os animais sofrem?” Considerei muito interessante a resposta dada pelo autor do artigo. Claro que, para uma pessoa religiosa, uma resposta baseada na palavra de Deus, a Bíblia, é muito convincente.

Reproduzo aqui a pergunta e a resposta:

Diego perguntou:

Em Romanos 3: 23 Paulo declara “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”

Em Romanos 5: 12 ele parece explicar o porque da afirmação:

“Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.”

Mas se todos morrem porque pecam, qual a explicação pra morte de animais e qualquer outro ser vivo que não tem o pecado original em si?

Pipe respondeu:

Paulo diz o seguinte:

“Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. (Rm 8:19-22)

Talvez isso esteja ligado a isso:

“E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. (Gn 1:28)

Adão era o responsável pela criação. E foi ele que a sujeitou debaixo de sua escolha.

A Bíblia não responde o motivo

Abrindo um parêntese neste ponto, qual cristão não se sente bem quando pesquisando as Escrituras, vasculha a procura de respostas para perguntas profundas como essa e encontra aquele versículo que depois de interpretado e comparado com outro versículo que também precisa ser interpretado conduz a uma explicação satisfatória?

Eu, durante mais de doze anos pesquisando a Bíblia, encontrei respostas que considerei muito satisfatórias. No entanto, observando mais de perto, grande parte das respostas que encontrava ali precisavam de uma boa dose de interpretação. No final, o que tinha era toda uma teoria baseada em uns poucos versículos e grande força de vontade de acreditar que os escritores da Bíblia queriam me dizer realmente aquilo. Aliás, aquilo que os versículos diziam era, na verdade, eu que estava dizendo. Como em minha mente já tinha a Bíblia como grande oráculo da sabedoria, eu certamente poderia, inocentemente levado pela fé, forjar uma boa reposta caso encontrasse os versículos certos. Não duvido que muitos, em toda candura religiosa, busquem paz, através das respostas bíblicas. Eu admiro muito tal anseio e essa sinceridade, mas admito que, motivações sinceras não farão as nossas respostas bíblicas serem satisfatórias.

Voltando a pergunta do por que os animais sofrem; o que gerou a controvérsia no blog citado foram os versículos:

Romanos 3: 23: “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.

Romanos 5: 12: “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.”

Os versículos deixam claro que o pecado é a fonte da morte e, consequentemente, do sofrimento. De acordo com as Escrituras, Adão e Eva, o primeiro casal humano, desobedeceram a ordem direta de não comer do fruto que estava no meio do jardim (Gn. 2.9, 16, 17), assim seu descendentes herdaram uma maldição, morrer. Foi esse o resultado para a deslealdade do ser humano. Repetindo, DESLEALDADE DO SER HUMANO, as outras criaturas do jardim do Éden não se envolveram no problema (exceto a serpente, que segundo a Bíblia foi usada pelo Diabo), Então, como os versículos mostram, a culpa pelo sofrimento humano é inteiramente do homem. E, quanto aos animais, por que sofrem e partilham das dores que estão fadadas aos humanos se não cometeram pecado algum?

O autor do Blog consultou as Escrituras em busca de ajuda e apontou os versículos:

“Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. (Rom 8:19-22)

“E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra”. (Gen 1:28)

A explicação dele é clara: Deus sujeitou os animais ao homem, que por sua vez pecou, infligindo toda raça humana e animais ao sofrimento. Ponto final. Assim foi rapidamente respondida a pergunta. Qualquer cristão pode se contentar com essa resposta porque, do ponto vista bíblico, sendo Adão o responsável pelos animais, qualquer ato do homem resulta em causas nos seres submissos. Reforçando a resposta dado por editor do blog cristão, podemos comparar um rei e seus súditos. Se um rei é mau, trará sofrimento aos súditos por causa da sua má gestão. Você se sente satisfeito com uma resposta assim? Já avaliou essa pergunta de uma ótica mais ampla?

Quando um cristão resolve cavar mais fundo na grandiosa pergunta do porquê os animais sofrem, ele observa que essa resposta não é suficiente, pois não explica tudo. Note que o autor fornece a resposta com dois versículos, interpretando pessoalmente ambos, ainda dizendo que talvez um versículo se relacione com o outro. Em minha opinião, ele não respondeu. A questão merece uma melhor análise.

Se o texto de Rom 5:12 estende sua aplicação além dos ser humano, chegando ao animal, fazendo com que o pecado do homem resulte em morte até mesmo para as mais variadas espécies do planeta, o que aconteceria se Adão e Eva não tivessem pecado? Vida Eterna pra todos os seres de boa vontade!

Raciocinemos com um breve exemplo: sabemos que o coelho se reproduz rapidamente, o período de gestação dura pouco menos de seis semanas e em cada uma das quatro e seis ninhadas anuais nasce de quatro a oito filhotes. Os filhotes também terão outros filhotes, imagine no final quantos coelhos existiriam na terra hoje, um só casal coelhos com vida eterna seria capaz de produzir aproximadamente 4800 coelhinhos em uns 100 anos. Levando em consideração mais casais de coelhos e os 6000 anos de história humana (Tempo estimado desde Adão até os dias atuais, de acordo com a Bíblia), o número será ainda maior. Imagine a terra cheia de coelhinhos, que bonitinhos!

O exemplo foi com coelhos, mas podemos pensar em diversas outras espécies (só o Brasil tem cerca 1,5 milhões de espécies catalogadas pelos cientistas).

Voltando a seriedade do assunto, a quem cabe a maior responsabilidade pelo sofrimento dos animais? A resposta do blogueiro foi o domínio do homem. Até que ponto vai nosso domínio sobre as outras criaturas? Se observarmos em nossa volta, nosso domínio é muito amplo, como exatamente a Bíblia disse. Mas, não é algo surpreendente dizer que dominamos sobre os animais, qualquer um poderia ter dito isso. Basta observar o óbvio, qualquer criatura com maior poder domina sobre a de menor poder. Escrever que os animais são submissos ao homem é mais do que óbvio e não diz nada de tão notável. Mas esse domínio não é de proporções tão amplas como a Bíblia descreve.

Mas ter as criaturas inferiores a nós em sujeição envolve responsabilidade sobre a sua integridade física. Somo responsáveis pelas extinções de espécies, maus tratos, desmatamentos e poluições. Logo desse ponto de vista também somos os culpados pelo sofrimento humano, então neste ponto "a criação geme", não pelo pecado original segundo as escrituras, mas por causa da má gestão humana.

Mas será que somos os maiores culpados mesmo? O homem é responsável pela sua posição como ser principal da terra, mas onde estava o homem quando os dinossauros sofreram extinção? Ou quantos animais morreram numa grande inundação (Dilúvio)? Desastres ecológicos ocorreram e ocorrerá no planeta.

Chuvas, vulcões, meteoros, terremotos, etc. São causas naturais, e para muitas civilizações são causados pela ira divina. Se de acordo com a Bíblia, nenhum pardal cai ao chão se não for pelo consentimento de Deus, logo, quem seria o maior responsável pelo sofrimento dos animais?

Acrescentando mais lenha na fogueira, podemos falar sobre os instintos assassinos dos predadores. Observamos vez por outra na TV, uma zebra virar almoço de leões. Que maldade deixar filhotes de zebra órfãos, mas os leões também têm que alimentar suas crias. Quem introduziu no leão o nos demais predadores esse instinto?

A cadeia alimentar por si só é muito cruel. Mas é necessária para o equilíbrio do sistema ecológico, a terra foi projetada dessa maneira, um ciclo de vida e morte. Desde uma planta que sufoca a outra com suas raízes, até uma bactéria parasita que pra viver faz um ser adoecer. Mas como disse anteriormente, é uma cadeia alimentar que causa dor e sofrimento, mas que é necessária pra equilibrar os parâmetros do sistema biológico do planeta, como uma equação matemática se equilibrando através da subtração e adição de termos.

Nós seres humanos fazemos parte dessa mesma cadeia. No entanto, o incrível é que somos os únicos seres, no planeta, com desejo de preservar as outras espécies, e olha que, de acordo com a Bíblia, nem fomos nós que as criamos. Ajudamos tartarugas a nascerem e a chegarem em segurança no mar, baleias encalhadas, macacos, onças, tigres bengala, elefantes, e assim vai. Lamentamos o lixo que produzimos, e tentamos eliminar a sujeira. Mas, depois de todos os esforços, ainda não é suficientes para salvar todos. Além disso, vem um terremoto e varre várias espécies, uma enchente e mata mais um monte de animais. O que você acha se alguém deixasse um carro para você cuidar, mas de vez em quando jogasse uma pedra no mesmo, e depois você recebesse a culpa pelo prejuízo?

Até os desastres naturais são necessários para o equilíbrio natural. Uma floresta precisa de incêndios eventuais de causas naturais para manter a vida. Árvores de Eucalipto são por natureza inflamáveis para facilitar a propagação das chamas.

Olhando por esse ponto de vista temos que admitir que o cruel ciclo de vida e morte é um mal necessário. Por que é assim, não sabemos. Poderia não ser cruel? Talvez sim, talvez não. Em conclusão desta análise, uma questão tão profunda como essa de por que os animais sofrem devem entrar para o livro das questões que tão cedo encontraremos uma resposta satisfatória. É uma questão muito complicada para ser descomplicada com dois meros textos bíblicos.

Autor: Odailson Cavalcante de Oliveira

14 comentários:

  1. Odailson. Aqui quem escreve é o dono do blog descontradizendo contradições. Li seu comentário acerca do que eu respondi acerca do sofrimento dos animais. Bom, o que percebi em sua argumentação é que vc levanta perguntas que de fato não sabemos como seria. Por exemplo a super-população de nosso planeta por cada espécie caso não houvesse a morte. Mas o caso é que o mundo pós-queda é fruto do pecado, portanto não se conclui premissas baseado no que vemos. Pois não sabemos como seria um mundo sem morte, sem pecado, etc. O que de fato a Bíblia diz é que a morte não existia e é fruto do pecado humano. Portanto, o sofrimento, a dor, os desastres naturais, e tudo o mais que implique no sofrimento de todos os seres vivos são fruto da queda do homem. A pergunta foi: "Por que os animais sofrem?", e a resposta é que não somente os animais, mas todo o sofrimento é fruto do pecado. Eu trouxe dois textos porque pouco se fala acerca da criação nesse quesito. Porém, é sabido que o sofrimento humano e portanto de toda a criação é fruto do pecado humano. Se sem a morte hj teríamos o problema de super-população, isto é uma especulação do ponto de vista pós-queda. Mas digamos que vc tenha razão. Isto não elimina o que eu respondi. Pois nesse caso, ainda assim, foi então o pecado humano que de alguma forma na soberania de Deus resolveu a questão. O que não se dá para concluir é que o sofrimento humano ou animal se deu por outra fonte que não a da queda do homem. O fato é que nesse caso, entendemos perfeitamente que o plano eterno de Deus não foi um remendo produzido pela queda. Jesus sempre foi o plano eterno dEle.

    Deus te abençoe.

    Pipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querido, sou o administrador desse blog e amigo próximo de Odailson. Agradeço a visita e também seu comentário. Uma coisa que poderá notar, Pipe, é que tudo que você afirma já é estabelecendo a Bíblia como verdade absoluta. Um cientista se desnuda de conceitos e preconceitos para investigar algum assunto, mas os cristãos já partem da premissa de que tudo na Bíblia é verdade e estabelecem a verdade levando a Bíblia como alicerce.

      Você comentou: “Mas o caso é que o mundo pós-queda é fruto do pecado, portanto não se conclui premissas baseado no que vemos”. Afirmar que o mundo que vemos é fruto da Pós-queda é uma afirmação vazia para quem não crê na Bíblia, isso nada mais é do que uma afirmação, nada mais. Você comentou que não se pode formar premissas baseado no que vemos, então vamos basear em quê? no que NÃO VEMOS?

      Imagine que você tem uma empresa de eletrônicos e seu concorrente lança um produto com uma tecnologia que você ainda desconhece. Você compra esse produto, desmonta com cuidado e tenta, baseado no que está vendo, chegar a uma conclusão de como eles construíram aquilo, fazendo o processo inverso. Essa análise seria mais lógica do que você ficar sozinho pensando em como se originou essa ideia, essa nova tecnologia, na cabeça do seu concorrente.

      Da mesma forma, para entender nosso passado, basta olhar o presente e “desmontá-lo” para vermos como era no início, ao invés de apenas ficarmos sentados, criando mil e uma teorias, sem prova alguma, de que os animais no princípio eram imortais, só porque a Bíblia “diz” isso. Leve também em consideração que, sendo apenas um texto, inúmeros interpretações são possíveis. Eu mesmo vim de um lar cristão que não via a Queda do homem dessa forma. Algumas correntes teológicas dizem que os animais sempre morreram e que se Adão não quisesse ter o mesmo fim que ele via os animais tendo no Paraíso, nascer, crescer e morrer, ele deveria obedecer a Deus.

      Como eu acredito na evolução deísta, acredito que estamos melhorando, e não piorando como prega a doutrina da Queda. Se você analisar as civilizações antigas, verá que o homem era praticamente um animal, hoje estamos mais civilizados a ponto de termos os Direitos Humanos que buscamos tanto cumprir. Nas civilizações bárbaras, crimes cruéis eram coisas do cotidiano, normal. Hoje, um único ato criminoso chama a atenção de pessoas de um país ou até mesmo do mundo inteiro, isso porque nossa sensibilidade moral é mais aguçada hoje em dia. Portanto, não houve Queda, está havendo um Erguimento do Homem. Os animais sempre morreram, pelo menos pela lógica reversa, e sempre irão morrer. Apenas nós, seres humanos, com nossa capacidade cognitiva, podemos reverter o nosso processo de envelhecimento e escapar da morte um dia.

      Excluir
  2. Administrador:

    Se o meu blog parte da premissa de que a Bíblia é a Verdade e pessoas me trazem perguntas buscando esta fonte de verdade como resposta, eu vou partir desta premissa que o blog se propõe a responder dentro daquilo que aquele que me pergunto também estabeleceu como premissa. Não se trata de um blog existencialista que se propõe a responder o sofrimento de forma existencial. Caso assim o fosse, bastaria simplesmente dizer que o sofrimento é fruto da existência puramente e pronto.

    Já li acerca do sofrimento existente antes da queda. Porém, isto esbarra em outras afirmações teológicas que contrastam com isso. Mas não é o caso aqui.

    O que eu quero dizer é que ao mencionar minha resposta no blog da forma como mencionaram é um pouco desonesta. E mesmo seu comentário encaro do mesmo modo. Pois se alguém me pergunta o que a Bíblia diz acerca de um determinado assunto e respondo acerca disso, vir outra pessoa e me dizer que tal resposta não é suficiente, no mínimo tal pessoa precisa caminhar na discussão dentro da premissa que se originou a resposta. Pegar o meu texto dentro de uma premissa e contexto e aplicá-lo numa discussão que foge ao limite que a própria premissa estabelece é desonestidade. É como se num debate científico que estabelece premissas de empirismo eu usasse um texto que trata de empirismo e simplesmente o refuto tratando-o numa nova premissa estabelecendo a fé como conclusão. Entendeu?

    No mais, o debate acerca do sofrimento dos animais fora do campo teológico está aí para ser debatido. O que não dá para se fazer é pegar um texto puramente teológico e querer aplicá-lo num debate existencialista onde a premissa de ser a Bíblia verdade não se é reconhecida. Nesse caso, eu não entendi nem porque o meu texto foi citado uma vez que esse premissa nem é reconhecida como verdadeira. Me pareceu mais desonestidade, entendeu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu entendi sim e, nesse caso, concordo com você Pipe. Primeiro quero pedir-lhe desculpas, pois meu objetivo não foi de alguma forma atingir-lhe. Nós apenas colocamos discussões desse nível em debates científicos porque a maioria dos cristãos quer usar afirmações teológicas para estabelecer a realidade das coisas para todo e qualquer indivíduo.

      Eu entendo perfeitamente o que você quis mostrar no seu blog, tanto quanto peço que entenda o que quero mostrar no meu: As afirmações teológicas são insatisfatórias pela razão humana para responder essas questões. Eu posso perguntar o que o Alcorão diz sobre o assunto, assim como o que Bhagavad Gita diz sobre a morte dos animais, etc. Lógico, cada um terá sua resposta ou respostas de acordo com sua linha. No entanto, para nós, os que buscam conhecer a realidade como ela, de fato, o é não podemos fazer uso dessas afirmações teológicas.

      Vou colocar uma nota acima dando os motivos da resposta no seu blog; depois de sua explicação eu acho que é justo fazer isso.

      Excluir
  3. Ok. Eu agradeço. Um abço e parabéns pelo seu posicionamento.

    ResponderExcluir
  4. "Eu imagino Deus como a fonte de toda a energia que criou e mantém o equilíbrio do universo. Vejo Deus na flor e na abelha que lhe suga o néctar para produzir o mel;e no pássaro que devora a abelha; e no homem que devora o pássaro...e no verme que devora o homem. Eu vejo Deus em cada estrela no céu,nas minhas noites nas pousadas, e nos olhos tristes de cada boi, ruminando na envernada...Só não consigo ver Deus no homem que devora o homem, e por isso acho que ainda tenho muito o que aprender nesses caminhos da vida..."

    Lembro de ter visto este poema no último capítulo de uma novela da rede globo. Não conheço sua autoria. Enfim, percebo que o autor não dá importância ao ciclo de vida que se mantêm na terra. Ele não tenta explicar nada. Observa e trata tudo como divino. O mais interessante é que sua atenção está em outra coisa: a brutalidade grotesca que o homem desenvolveu e perpetua desde o princípio da humanidade!

    De certa forma todos nós já vimos um leão matando uma zebra para se alimentar, um urso polar matando uma foca, um jacaré atacando animais de porte menor, porém jamais veremos um leão que mate outro leão ou um urso ou um jacaré que destrua sua própria espécie (poderá até ver, mas por motivos de sobrevivência). O homem sim destrói sua própria espécie (sempre por motivos banais).

    Jamais teremos respostas satisfatórias sobre tudo, muito menos as encontraremos na bíblia, pois o próprio Jesus nos disse isso quando explicou sobre as coisas celestiais.

    Contra a autoridade não há argumentos!

    “E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.” (Gênesis 1:25)

    “Eu fiz a terra, o homem, e os animais que estão sobre a face da terra, com o meu grande poder, e com o meu braço estendido, e a dou a quem é reto aos meus olhos.” (Jeremias 27:5)

    “Consumirei os homens e os animais, consumirei as aves do céu, e os peixes do mar, e os tropeços juntamente com os ímpios; e exterminarei os homens de sobre a terra, diz o SENHOR.” (Sofonias 1:3)

    Como diria os antigos - Deus dá, Deus tira.

    Atenciosamente, Maxwell

    ResponderExcluir
  5. Você diz: “Se tu postar eu vou apagar”. Mas antes dá uma lida!

    Você diz: “Nenhum pardal cai ao chão se não for pelo consentimento de Deus, logo, quem seria o maior responsável pelo sofrimento dos animais?”

    [1] A criatura tem o direito de “desaprovar” o criador??? Rm 9.20 “Por que... fizeste assim?”
    [2] Aquele que permite é poderoso para “refazer melhor”! Rm 9.21 “tem poder sobre o barro”
    Soberania [1] é poder [2]; assim, a “fábula” também descreve uma renovação e recompensa.

    Daí penso que se olharmos o todo “dessa fábula” veremos uma renovação do soberano, e não só sofrimento.

    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou te responder e essa resposta será o suficiente, não lerei, nem publicarei um segundo comentário seu aqui.

      [1] A criatura tem o direito de “desaprovar” o criador??? Rm 9.20 “Por que... fizeste assim?”

      Pode sim! Para você que é cristão, passivo, que não pensa, mas permite e aceita de forma passiva tudo o que a Bíblia diz, ou pelo menos o que você acha que ela diz, a ideia que reina é que DEUS PODE TUDO, E QUEM SOU EU PARA QUESTIONÁ-LO?!

      É lamentável em pleno século XXI encontrar pessoas assim. Mas estás em seu direito.

      [2] Aquele que permite é poderoso para “refazer melhor”! Rm 9.21 “tem poder sobre o barro” Soberania [1] é poder [2]; assim, a “fábula” também descreve uma renovação e recompensa.

      Esses textos e frases só funcionam para os cristãos crédulos. Pra mim são nada, exceto textos antigos de uma religião antiga criada por pescadores que viveram 2.000 anos atrás na Palestina!

      Se você acredita que um dia haverá uma renovação e recompensa, inclusive pros animais, um céu que será um tipo de PETSHOP, é uma pena!

      Mas, estás no seu direito crer em qualquer coisa, incluvise nessa tolice!

      Excluir
  6. Diz: “Se você acredita... renovação e recompensa... é uma pena... uma tolice”.
    A questão agora é “se eu acredito ou não”???

    Se NÂO creio: É uma “fábula” em que há uma “renovação” do “Soberano”.
    Se eu creio: É uma “história” em que há uma “renovação” do “Soberano”
    Então, eu acreditar não tem importância nenhuma!!! Continua havendo uma renovaçao!!!
    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blá, blá, blá... renovação que mesmo depois de 2.000 mil anos nunca aconteceu! Espera sentado Clóvis, pois você envelhecerá sem ver essa renovação!

      Excluir
  7. Você diz: "você envelhecerá sem ver essa renovação!"
    Desde quando é importante o que eu creio???

    A questão aqui é: "É uma história injusta?"
    A resposta é simples: "É uma 'Fábula' onde há renovação, o que mostra justiça".
    Embora seja uma história "inventada", não há injustiça!

    Você está se comportando igual a Nicodemos! Mestre das letras e não entende algo tão simples!

    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
  8. Porque Deus é ao mesmo tempo a caça e o caçador? E porque ele impõem aflição na caça? Será para atingir o homem?

    ResponderExcluir
  9. Quanto ao sofrimento dos animais, eu apenas nao entendo, que sim teriam que morrer para que não houvesse zilhoes povoando o planeta, mais isso bastaria que eles simplesmente chegassem em seu tempo, deitassem e simplismente deixassem de viver, eu vejo que criaturas distituidas de pecado, por nao pertecerem a casta de Adão, simplismente não deveriam agonizar e sentir a dor como nos humanos

    ResponderExcluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site