segunda-feira, 25 de abril de 2011

DEUS, SERVOS, PERMITIR, PASSAR, NECESSIDADE, FOME
Certa vez eu perguntei a um dos líderes religiosos da minha anterior religião se Deus deixa seus servos passar necessidades. Ele respondeu prontamente que NÃO, pois Deus cuida de Seus filhos, e comentou que o princípio cristão em 1 Timóteo 5:8, de que o chefe de família deve sustentar seus filhos, também se aplicava à Deus.

No entanto, rapidamente eu levantei o seguinte questionamento:

No Salmo 23:1b Davi afirma que ‘nada lhe faltará’, e depois descreve o próprio Yahweh servindo Seu servo com abundância de comida. O próprio Jesus, a maior teofania de Yahweh, disse que se o Reino for colocado em primeiro lugar “tudo nos é acrescentado”, se referindo, pelo contexto, à vestimenta, alimentação e moradia. Cf. Mateus cap. VI.

Mas, o grande problema é o seguinte: Na Carta aos Hebreus, o escritor disse que os servos de Deus na antiguidade “passaram necessidade” (11:37). Como Yahweh poderia deixá-los “passar necessidade” se o Salmo 23 prometia que Yahweh era Pastor e nada faltaria aos Seu povo?

Interessante é que a palavra grega usada pelo escritor da Carta aos Hebreus é υστερεω (Gr.: hustereo) que pode significar “ser inferior”, ou “estar desprovido”, “estar em necessidade”. No Novo Testamento essa palavra ocorre 16 vezes. Vejamos como a palavra grega υστερεω é traduzida nesses lugares. Em Mt. 19:20 temos a palavra vertida na frase “o que ainda me falta”; Mc 10:21 “uma coisa falta a respeito de ti”; Lc 15:14 “passar necessidade” [veja que o contexto desse versículo é de “fome”]; 22:35 “careceste porventura de alguma coisa?”; Jo 2:3 “o vinho estava casseando”; Rm. 3:23 “atingir”; 1Co. 1:7 “nenhum dom vos falta”; 8:8 “nada nos falta”; 12:24 “tinha falta dela”; 2Co. 11:5 “inferior”,9 “necessidade”; 12:11 “inferior”; Fil. 4:12 “ter fome”; Heb. 4:1 “ficar pra trás”; 11:37 “passar fome”; 12:15 “privar-se”.

Agora, o interessante é que, essa mesmíssima palavra grega é usada no Salmo 23:1b para dizer que Deus NÃO DEIXA Seus servos passarem necessidade. Na Septuaginta (LXX) [1] os judeus usaram a palavra υστερεω para traduzir a palavra hebraica חסר (châsêr) que significa “ter carência”, “estar desprovido”, “faltar [os meios de subsistência]”.

Na Vulgata Latina, a palavra em latim no Salmo 23:1b é “desum”, que tem a seguinte definição:

perf. dēfuērunt, trisyl., O.; fut. inf. dēfutūrum esse ou dēfore), estar fora, estar ausente, tracaçar, estar em necessidade, estar faltando: quasi desit locus, T.: Non ratio, verum argentum deerat, T.: si forte desit pecunia: conlectis omnibus una Defuit, V.: Qui lacriment desunt, O.: omnia deerant, quae usui erant, Cs.: cui omnia ad usum defuissent, Cs.: nihil tibi a me defuit, “foi retirado”: in quā (causā) oratio deesse nemini possit: Verba animo desunt, O.: quantum sententiae deesset animi, Cs.: Neu desint epulis rosae, H.: hoc ad fortunam Caesari defuit, Cs.: id rebus defuit unum, i. e. para completer nossa miséria, V.: nec defuit audentia Druso, Ta.: Deest iam terra fugae, voar para, V.: ut neque in Antonio deesset hic ornatus orationis: quas sibi res, quo minus in foro diceret, defuisse: ne tibi desit? Pelo menos você veio a carecer? H.; cf. quod non desit habere, i. e. suficiente, H.— falhar, estar em necessidade, abandoner, rejeitar, negligenciar: nec rei p. nec amicis: ne tibi desis, se trair: dignitati suae: senatu reique p., Cs.: Timotheo de famā dimicanti, N.: huic rei, Cs.: operae, H.: ne tempori deesset, perder a oportunidade, L.: occasioni temporis, Cs.: nos consules desumus, estão em falta. (Lewis and Short's Latin-English Lexicon, 1879)

Assim, lenvando em consideração os termos usados originalmente, o Salmo 23 está ensinando categoricamente que quando deixamos O Senhor ser nosso Pastor, Ele cuida de nós, assim como um pastor cuida de suas ovelhas, provendo-nos com o sustento físico.

Então em Salmos 23:1b Davi diz:

“Yahweh é o meu Pastor, e nada me faltará [LXX υστερησει BHS חסר]”, ou seja, Deus não deixará seus servos passar fome, necessidade, o que é uma contradição ao que está escrito em Hebreus 11:37.

Alguns dizem que o Salmo 23 é aplicado em sentido espiritual, que Deus nunca deixará faltar o alimento espiritual de Sua palavra. Nesse sentido, eles dizem que Deus pode nos deixar passar necessidades FÍSICAS mas nunca necessidades ESPIRITUAIS. Mas, mesmo assim, a promessa de Jesus no capítulo VI de Mateus diz que Deus sempre proverá alimento, abrigo e tudo que for necessário para a vida se colocarmos em primeiro lugar o Reino de Deus e isso é SIM literal.

O Salmo 37:25 diz em harmonia com a promessa de Jesus Cristo:

“Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem seus filhos mendigando o pão.” (NVI)

Ou seja, para Davi, o mesmo que escreveu o Salmo 23 e 37, Deus nunca deixará um servo leal dEle passar fome, mostrando que o entendimento correto do Salmo 23 é literal e não espiritual como dizem alguns.

Assim, a questão que permanece é a seguinte: Deus deixa seus Servos passar necessidade como se diz em Hebreus 11:37, ou Ele “nunca deixa faltar” os meios de subsistência como nos ensina o Salmo 23:1b? Dê sua opinião. A minha, como proposta do blog, é de que não há harmonia no que diz respeito ao comportamento de Deus nesse contexto abordado na postagem.


__________
NOTAS
[1] Septuaginta se refere à primeira tradução do Antigo Testamento que se tem notícia. Os judeus fizeram uma tradução do Antigo Testamento, que foi escrito originalmente em hebraico, e traduziram para o grego koiné, o mesmo usado no Novo Testamento.

4 comentários:

  1. Olá administrador, na minha opinião os caminhos de Deus são insondáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg pela visita. Seja muito bem-vindo(a)! Entendo sua posição, pois eu também já pensei assim. Sei que existe inumerosas coisas no Universo que não entendemos, mas, no entanto, apreendê-las, ou não, não mudará muito em nossas vidas. Apesar disso, o mesmo não ocorre quando questionamos coisas relacionadas à Deus, pois, na maioria das vezes, tem tudo a ver com nossa vida e a maneira de olharmos as coisas em nossa volta.

      Essa postagem não questiona DEUS, em si, pois tenho absoluta certeza que Ele deve ter Seus motivos para permitir a maldade, como é o caso da fome. O questionamento é sobre a Bíblia e a resposta que ela dá sobre o assunto. Na postagem, fica bem claro que a Bíblia não dá uma resposta satisfatória e, além disso, ela se contradiz no que fala sobre o assunto.

      Excluir
  2. Mt6 e Sl23e37 falam da condição de uma vida.
    x
    Hb 11.37 fala de certos momentos específicos.

    Exemplo prático: Dt 8.3 “te deixou ter fome, e te sustentou com o maná”. Passam necessidade de comida por “um momento” e recebem em seguida o maná. Não foi uma “condição inteira de vida”! Deus permite “certos momentos de necessidade” dos seus servos, mas não os deixa nesta situação “por toda a vida” [Sl 37:25].
    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim essa explicação, que já pensei em tempos atrás, é apenas uma tentativa de harmonizar conceitos contraditórios.

      Excluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site