quinta-feira, 14 de abril de 2011

DAVI, BATE SEBA, ADULTÉRIO, FILHO, DEUS, ADOEÇER, MORRER
Hoje gostaria de compartilhar algo com vocês que mexia comigo quando era cristão devoto, mas que minha luta para manter viva a fé ajudava a desconsiderar.

O assunto a ser tratado encontra-se no livro de 2 Samuel 12. O capítulo nos fala, resumindo, sobre o resultado do pecado de Davi. Para aqueles que não estão muito familiarizados com as Escrituras, ou pelo menos com o Antigo Testamento, vou tentar sintetizar o ocorrido.

No passado, o povo hebreu tinha um rei muito famoso chamado Davi. Ele era muito amado pelos seus súditos e era o preferido de Yahweh Deus. (1Sam. 13:14) Mas Davi, como um homem normal, tinha lá suas fraquezas. – Cf. Salmos 51.

Certa vez, ele estava meditando na varanda do seu palácio e observou lá de cima a esposa de um israelita tomando banho de cuia. O nome dela era Bate-seba e o nome do judeu era Urias. Davi comete adultério e para encobrir seu pecado, manda o esposo da maledita pra frente da batalha para morrer e assim poder ficar com a gostosona. – Cf. 2Sa 11:1-27.

Mas, como Deus vê tudo, manda o Seu profeta, chamado de Natã, que esfrega na cara de Davi o pecado crasso que cometera. – Cf. 2Sa 12:1-12.

Aqui é que começa nossa bela análise. Davi deve ter se borrado de medo quando soube pela boca do profeta que o SENHOR estava desgostoso [que termo hein?!] com o seu pecado. Não era pra menos, pela Lei Mosaica, Davi deveria ser destronado e apedrejado.

Mas, lembre-se!!!! Davi era o predileto do SENHOR. Qual seria o desfecho dessa novela mexicana?

2 Samuel 12:13-15 nos conta:


13 Então Davi disse a Natã: "Pequei contra o Senhor! " E Natã respondeu: "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá. 14 Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá". 15 Depois que Natã foi para casa, o Senhor fez adoecer o filho que a mulher de Urias dera a Davi. (Nova Versão Internacional)

Humm, deixa eu ver se entendi. Davi pinta e borda e quem paga é o bebê? O que eu acho mais engraçado é que o texto diz claramente “você não morrerá. Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá”. Depois ainda diz que “o Senhor fez adoecer o filho que a mulher de Urias dera a Davi.”

Pois bem, antigamente eu me virava nos trinta pra achar uma apologia para essa passagem. Dizia que o menino na verdade já nasceu de alguma forma doente, que a expressão “o Senhor fez adoecer” na verdade significa “o Senhor permitiu que ele adoecesse”, como se em hebraico não existisse a palavra “permitir”, que seria nathân (Strong #H5414).

Mas hoje, olhando e relendo de novo esse relato, a única coisa que vejo, posso dizer que infelizmente, é uma grande injustiça, covardia e maldade, quando o deus judaico passa a mão na cabeça do pecador predileto em detrimento de uma criança que ainda não havia cometido o menor pecado. Ah! Sem contar que esse julgamento divino está em nítida contradição com Deuteronômio 24:16 que diz:

““Os pais não devem ser mortos por causa dos filhos e os filhos não devem ser mortos por causa dos pais. Cada um deve ser morto pelo seu próprio pecado.” [NTM]

Alguns, para explicar isso, dizem: Mas é que Yahweh tinha feito um pacto messiânico com Davi, então Ele não podia cortar Davi da linhagem. Para isso respondemos que, se Deus não podia fazer isso, se Ele precisava de Davi para cumprir a linhagem do Messias, então Ele não é todo-poderoso (silogia). Se Ele é o supremo, não precisará de um ser humano pecador e adúltero para cumprir nada.

Outros dizem: Na lei diz que filhos ilegitimos não poderiam fazer parte da congregação de Yahweh (Dt. 23:2). Então a legalidade divina é inferior a dos humanos, pois a criança não pediu pra ser filho de um ato adúltero. Quero saber se um cristão tiver um filho em adultério se ele vai matar a criança porque um filho ilegitimo não pode fazer parte da congregação. E se ainda falar que não faria isso porque não vive mais debaixo da lei, então isso mostra que se vivesse naquela época faria isso sem dor nem piedade com seu filho(a).

Ainda mais, Bate-saba e Davi tiveram no lugar do falecido um outro bebê, o famoso Salomão, mas esse não morreu e por que? Porque o SENHOR “o amava”. (2Sam. 12:24) Pois bem, Bate-saba teve duas crianças, uma o deus judaico fez adoencer até a morte porque era fruto de um adultério e o outro foi preservado vivo porque o SENHOR “o amou”. Um perfeito jogo de parcialidade e preferências.

Infelizmente, o que é dito em Deuteronômio 32:4 não se encaixa no ocorrido acima. Eis o porquê de eu não acreditar que o deus judaico-cristão exista, pois SE existir um Ser lá em cima, Ele não pode ser dessa forma retratada na passagem de 2 Samuel 12, um deus que faz crianças inocentes adoecer e morrer.

5 comentários:

  1. Você diz: “Se tu postar eu vou apagar”. Mas antes dá uma lida!

    Você diz: “Por que não se usou a palavra permitir?”
    Não achei a palavra “Deus” em Ester, mas a história mostra que “Deus” agiu!
    Não achei a palavra “permitir” em Jó, mas a história mostra que Deus “permitiu”!
    Analogia: Disse João “Eu vi meu filho pulando na minha cama e não disse nada.” Pergunto: O pai permitiu? Permitiu sim! Mas onde está a palavra permitir? Não há a palavra, mas história [todo] mostra isso!

    Você diz: “Davi pinta e borda e quem paga é o bebê?”
    2° Sm 12 diz que: a espada não se apartaria da casa de Davi, v.10; receberia o mesmo que fez a Urias, v11; e seria revelado, v.12; veria o nome de Deus blasfemado, v.14; e a criança morreria, v.15 [ferindo Davi, v.22].

    Perdoe-me discordar novamente de você, mas eu vejo, nessa “fábula”, que Deus amaldiçoou Davi “até” [e não somente] “permitindo” que seu filho morresse.

    Clóvis, Cariacica, ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse texto é bem claro que a morte do menino não foi permitida, ou passiva, mas uma ação ativa do deus judaico. Vou repetir apenas UM VEZ o argumento, não vou ler, apenas deletar se você postar algo mais aqui.

      Concordo que não é decessário dizer PERMITIR, podemos observar permissão nas entrelinhas de um texto qualquer, mas isso não ocorre no texto de 2 Samuel:

      13 Então Davi disse a Natã: "Pequei contra o Senhor! " E Natã respondeu: "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá. 14 Entretanto, UM VEZ QUE VOCÊ INSULTOU o Senhor, O MENINO MORRERÁ". 15 Depois que Natã foi para casa, o Senhor fez adoecer o filho que a mulher de Urias dera a Davi. (Nova Versão Internacional)

      Versículo 13, "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá." Para um crédulo, que vive no mundo de faz-de-conta, faz sentido dizer que a frase "você não morrerá" pode significa também "Deus vai permitir você viver", porque como se acreditavam os pagãos no passado, bem como os cristãos hoje, tudo ocorre porque Deus "permite".

      Dai quando Deus disse, "Entretanto, UM VEZ QUE VOCÊ INSULTOU o Senhor, O MENINO MORRERÁ". Sendo crédulo, também posso dizer que, como tudo acontece porque Deus permite, posso dizer que "o menino morrerá", porque Deus "vai permitir" isso.

      Deixando de infantilidade crédulas de lado, olhando apenas o texto, seus vocábulos e a sintaxe, temos um quadro totalmente diferente.

      Os dois verbos são ATIVOS. No versículo 13, o profeta disse: "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá." O verbo "perdoar" [Hebr.: he·‘ĕ·ḇîr] literalmente "removeu" seu pecado, é um verbo ativo. Deus NÃO PERMITIU que Davi fosse perdoado, porque não era uma segunda pessoa que tinha que perdoar Davi, era o próprio Deus. O verbo permitir, tanto em Português, como em Hebraico, exige um segundo agente, coisa que não ocorre com o verbo "perdoar" na voz ativa.

      Davi pecou contra Yahweh e era Yaweh que tinha que perdoar de forma ativa, portanto, nada tem a ver com permitir aqui. O perdão de Yahweh foi uma ação direta para com o pecador.

      Por conseguinte, qual foi o resultado direto desse perdão? "Tu não morrerás." Da mesma forma que o perdão de Deus, a morte de Davi não seria algo a ser permitido, pois o verbo é ativo e assim como no caso do perdão, seria uma morte aplicada DIRETAMENTE por Yahweh. Independente de como ele poderia ser morto, apedrejado, com uma espada, ou de forma milagrosa, a morte dele era uma ação DIRETA de Yahweh.

      Davi não morre, mas também não pode ficar em puni. Então, Yahweh diz: "Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá." A palavra "entretanto", do hebraico ’e·p̄es, significa "apesar disso". Em outras palavras, semanticamente, o sentido é: "Yahweh não vai tirar sua vida [de forma ativa], apesar disso, como você não pode ficar impune, vou tirar [de forma ativa] a vida de seu filho."

      Portanto, nem mesmo nas entrelinhas temos a ideia de que Deus bondosamente permitiu algo. As ideias léxicais e sintáticas demonstram um ação ativa. Em outras palavras, o texto, limpo e seco, quer dizer que Yahweh tirou a vida da criança no lugar da vida de Davi.

      Excluir
  2. Acho que no caso de Salomão, o mesmo já não pode ser considerado filho adulterino, pois o marido da dita cuja (Bate-Seba) já havia falecido mesmo. Não existe adultério contra falecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Depois de falecido o casamento é desfeito, pois a morte é uma separação forçada, que é o mesmo princípio em 1 Coríntios 7.

      Excluir
  3. Olá Eduardo, boa tarde, tudo bem? Cara eu gostaria de te solicitar e ao mesmo tempo te sugerir, que você, se possível, fizesse um artigo sobre a possível origem da palavra DEUS, com todas as suas vertentes possíveis, e que através dos nomes teofóricos você também fizesse um artigo sobre o possível verdadeiro nome de Javé no original hebreu, ou tetragrama (יְהֹוָה), e sua possível pronúncia original, pois sei que já deve ter alguma pesquisa a respeito. E você também ainda não me respondeu sobre se há alguma obra sobre o livro 'Vida dos profetas' e sobre o martírio de Isaías. Sei que você deve ser um cara bastante ocupado mas, fico no aguardo. Mais uma vez grato pela atenção.

    ResponderExcluir

Antes de comentar, queira ler os artigos Critérios para se Aprovar Comentários e Respostas à Alguns Comentários. Obrigado pela visita e pela participação!

Comentarios Recentes

Compartilhe este Artigo

Delicious Digg Facebook Favorites More Stumbleupon Twitter

Search Our Site